Jaime Lerner © Via Instituto Jaime Lerner

Vocacionado ao urbanismo, as contribuições de Lerner

Em homenagem ao arquiteto e grande pensador urbano, um singelo registro da rica contribuição de Jaime Lerner (1937-2021)

Nesta quinta-feira, 27 de maio de 2021, dá-se adeus a Jaime Lerner, figura representativa da arquitetura e, sobretudo, do urbanismo brasileiro, e referência quando se fala em inovação urbana no âmbito mundial. Aos 83 anos, o falecimento se deve à doença renal crônica enfrentada pelo profissional, que se agravou desde a última sexta-feira (21), motivo pelo qual seguiu internado no Hospital Universitário Evangélico Mackenzie, na capital paranaense.

Curitibano nascido em 17 de dezembro de 1937, formou-se pela Escola de Arquitetura da Universidade Federal do Paraná (UFPR) em 1964, sendo responsável pela criação e estruturação do Instituto de Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), em 1965. Três vezes prefeito de Curitiba (1971/1974, 1979/1984 e 1989/1993) e duas vezes governador do Paraná (1995/1998 e 1999/2002), liderou a revolução urbana que fez da cidade referência nacional e internacional em planejamento urbano, principalmente em transporte, meio ambiente, programas sociais e projetos urbanísticos, resultantes em grandes transformações socioeconômicas e de melhorias na qualidade de vida populacional.

A primeira gestão de Lerner como prefeito foi marcada pela criação do inaugural calçadão do país – o da Rua XV de Novembro, em Curitiba -, bem como pela implementação do sistema de transporte coletivo urbano com canaletas exclusivas para os ônibus expressos e sistema de integração nos terminais de transporte público da cidade, estratégia de transporte que atraiu os olhares mundiais de urbanistas – de acordo com o arquiteto, replicada em aproximadamente 250 cidades pelo globo. Em seu terceiro e último período na administração municipal, o sistema de transporte público ganhou as estações-tubo, e deu-se atenção aos setores de coleta e reciclagem na cidade, e a pontos turísticos como Ópera de Arame e Jardim Botânico.

 

Lerner como prefeito de Curitiba durante os anos 70 © Via Instituto Jaime Lerner

 

Sistema de transporte de BRT foi criado pelo arquiteto e urbanista © Cesar Brustolin / SMCS

 

No final de junho de 2018, foi inaugurada a primeira fase do parque que Jaime Lerner e equipe projetaram para a orla do rio Guaíba, em Porto Alegre (vista em fotos abaixo). Totalizando 1,3 quilômetro de extensão, o projeto agencia o desnível entre a água e a cidade, resultante de obras para a contenção de cheias executadas na década de 1970.

 

 

Nos períodos em que não ocupou cargos públicos, desenvolveu planos urbanísticos para várias cidades do Brasil, como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife, Salvador, Aracaju, Natal, Goiânia, Campo Grande e Niterói, além de prestar assessoria internacional a cidades como Caracas (Venezuela), San Juan (Porto Rico), Shangai (China), Havana (Cuba) e Seul (Coréia do Sul).

Ainda durante a carreira, proferiu importantes conferências internacionais e, no campo da educação, foi professor da faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Paraná, e professor convidado e conferencista nas universidades americanas de Berkeley (Califórnia), Cincinnati, Columbia (NY), e na universidade japonesa de Osaka.

Único brasileiro presidente da União Internacional de Arquitetos (UIA) (2002/2005), foi consultor em assuntos urbanos para as Nações Unidas; fundou Instituto Jaime Lerner, entidade sem fins lucrativos; em 2010 nominado pela revista Time como um dos 25 pensadores mais influentes do mundo; em 2013 recebeu a Comenda Barão do Serro Azul da Associação Comercial do Paraná (ACP), como grande personalidade paranaense e urbanista de reconhecimento mundial; e, em 2018, o curitibano também foi eleito o segundo urbanista mais influente do mundo nos últimos tempos, de acordo com a Planetizen, revista norte-americana de planejamento urbano.

Pelo reconhecimento de sua obra, destacam-se diversos prêmios e títulos internacionais, como o Prêmio Máximo das Nações Unidas para o Meio Ambiente (1990); UNICEF Criança e Paz (1996); 2001 World Technology Award for Transportantion; 2002 Sir Robert Mathew Prize for the Improvement of Quality of Human Settlements, pela União Internacional dos Arquitetos; o Premio Volvo Environment Prize 2004; e, em 2011, pelo reconhecimento de sua liderança, visão e contribuição no campo da mobilidade urbana sustentável, o prêmio Leadership in Transport Award, agraciado pelo International Transport Forum at the OECD.

* Com informações de portal Jaime Lerner Arquitetos Associados / Instituto Jaime Lerner / UOL / G1 / CBN Curitiba

 

Saiba mais na PROJETO

Entrevista – Jaime Lerner

Jaime Lerner prega o fim do ego na arquitetura