Última semana para inscrição de projetos no concurso “Voltar às Ruas”

Com prazo até sexta-feira próxima (31/7), o certame busca através de propostas projetuais a restauração e o desenvolvimento do espaço social pós-pandemia

Como voltar às ruas e reativar espaços públicos na cidade pós-pandemia? Essa é a questão central que norteia os interessados no concurso “Voltar às Ruas”, promovido pelo Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Com prazo final de inscrição das propostas até a próxima sexta-feira (31/7), o certame está em busca de soluções inovadoras, replicáveis, de alto impacto, baixo custo e rápida execução para a reativação de espaços públicos.

A competição aceita inscrições individuais ou em grupo (podendo ser multidisciplinar) de cidadãos de um dos 48 países membros do BID e que tenham três meses de disponibilidade para desenvolver um protótipo da ideia de acordo com as capacidades técnicas, físicas e regulatórias exigidas.

Ainda, para inscrição, é necessário o preenchimento de um formulário – em português, espanhol ou inglês -, onde também devem ser apontados justificativa da proposta, indicações de replicação e adaptação para intervenções permanentes e um orçamento detalhado.

De acordo com as instruções do concurso, os projetos serão avaliados segundo os critérios:

  • Conceito contribui para a reativação da vida urbana nas fases de transição, envolvendo medidas de distanciamento social e uma abordagem mais inclusiva e sustentável dos espaços públicos.
  • Desafio identifica um problema frequente do espaço público e / ou da vida comunitária no cenário pós-pandemia.
  • Adaptabilidade e escalabilidade permite a realização de um protótipo que pode ser adaptado e replicado em vários contextos locais.
  • Baixo custo e execução simples pode ser implementado dentro de um mês, com um orçamento inferior a cinco mil dólares e com materiais facilmente acessíveis no mercado.
  • Possibilidades de prototipagem contempla um plano para testar a ideia, incluindo as capacidades técnicas e físicas e o espaço público para desenvolver o protótipo.
  • Escala humana considera o ser humano como central à proposta, melhorando e influenciando positivamente o comportamento das pessoas em relação a medidas de distanciamento.
  • Distanciamento físico considera fatores comportamentais dos cidadãos após o isolamento físico (quarentena), como o medo de contágio no espaço público.
  • Build-back-better propõe alternativas para uma vida urbana e espaços públicos mais sustentáveis, resilientes e inclusivos, com base em um processo de “transformação e adaptação” que reconheça as mudanças resultantes da nova maneira de habitar os espaços.
  • Inclusão social promove as relações comunitárias e redução das desigualdades espaciais e sociais, dentro das restrições da distância física.
  • Inovação oferece uma visão não tradicional dos desafios multissetoriais, incluindo adaptação da infraestrutura existente, confiança no espaço para uso público, reativação da economia local, desenvolvimento social ou comunitário.

As três soluções que atenderem mais rigorosamente aos critérios estabelecidos serão reconhecidas com a execução do protótipo no local de residência dos participantes durante três meses; cobertura com até US$ 5 mil para os custos dos materiais necessários no desenvolvimento do protótipo; prêmio de US$ 5 mil para cada equipe vencedora após a entrega da fase de prototipagem; acompanhamento do Laboratório de Cidades do BID e de uma extensa rede multidisciplinar de marcadores e planejadores urbanos; divulgação e apresentação dos resultados. A divulgação dos vencedores está prevista para o próximo 10 de agosto.

Na última quarta-feira (22/7), o @bid_ciudades promoveu um encontro com Tamara Egger, do Laboratório de Cidades do BID, e Domenico Di Siena, dos coletivos Ciudades Comunes e Urbanohumano, sobre como é possível promover uma sociedade através do novo “urbano comum”: mais sustentável, resiliente e inclusivo. Ainda, os profissionais conversaram acerca da convocatória do concurso “Voltar às Ruas”.

View this post on Instagram

¿Cómo reactivar el espacio público en la ciudad pospandemia y recuperar así la confianza ciudadana en la vida urbana? Hablamos con Tamara Egger, del Laboratorio de Ciudades de @el_bid, y Domenico Di Siena, del colectivo @ciudades.comunes y @urbanohumano, sobre cómo podemos trabajar entre todos como sociedad hacia un nuevo común urbano más sostenible, resiliente e inclusivo. Junto a Tamara y Doménico conversamos también sobre la convocatoria que lanzamos hace poco: el IDEATÓN Volver a la Calle. Estamos buscando soluciones innovadoras, replicables, de bajo costo, escala humana y fácil implementación para reactivar los espacios públicos en la nueva realidad urbana que se viene. Las tres propuestas ganadoras serán parte de un proceso de incubación colaborativo junto a expertos del BID y una red increíble de placemakers, en el que adaptaremos la idea a un prototipo a ser implementado en ciudades de la región. ¡Participa YA antes del 31 de julio! . Ideatón VOLVER a la CALLE 💡 iadb.org/ideatonvolveralacalle . Laboratorio de Ciudades de @el_bid + @ciudades.comunes @placemakinglatinoamerica #pospandemia #postcovid19 #postcovid #pandemia #postcuarentena #postcorona #coronavirus #coronavírus #coronacrisis #covid_19 #covid19 #espaciopublico #espaciopúblico #diseñourbano #placemaking #urbanismo #innovacionsocial #innovaciónsocial #distanciamientosocial #cuarentena #participacionciudadana #participaciónciudadana #americalatina #confianza #comunidad #creandocomunidad #culturaciudadana #culturaurbana #placemakinglatinoamerica #vidaurbana

A post shared by BID Ciudades Sostenibles (@bid_ciudades) on