Paulo Mendes da Rocha © Luiza Sigulem, via CAU/SP

Traços do inestimável Paulo

Uma breve recordação da trajetória e principais marcos profissionais do icônico arquiteto e urbanista brasileiro Paulo Mendes da Rocha (1928-2021)

No último domingo, 23 de maio de 2021, Arquitetura e Urbanismo mundiais se despediram de talento e personalidade que figurava em Paulo Archias Mendes da Rocha, principal arquiteto brasileiro da contemporaneidade e expoente global de imensurável contribuição com tal setor profissional. Aos 92 anos de idade, seu estado de saúde comprometia-se por um câncer no pulmão.

Nascido em 1928, em Vitória (ES), aos 26 anos (1954) formou-se pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Presbiteriana Mackenzie, em São Paulo, e desde cedo, em 1957, destacou-se ao vencer o concurso para o Ginásio do Clube Atlético Paulistano, 1958 – obra que lhe vale o Grande Prêmio Presidência da República na VI Bienal Internacional de São Paulo, em 1961, quando a partir de então, integra o grupo da chamada “escola paulista” na arquitetura, liderada por Vilanova Artigas.

Entre 1960 e 1961, realiza projetos de escolas para a rede pública e ingressa como professor na Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo (FAU-USP). Datam desse período obras fundamentais de sua carreira, como a sede social do Jockey Club de Goiânia, 1962; o edifício residencial Guaimbê, 1962; e a própria Casa no Butantã, 1964, ambos em São Paulo.

Projetado em 1968, ao lado de Artigas e Fábio Penteado, o Conjunto Habitacional Zezinho Magalhães Prado – CECAP, em Guarulhos, quando em 1969, após o Ato Institucional nº 5 – AI-5, é afastado da FAU-USP, à qual retorna apenas com anistia, em 1980, como auxiliar de ensino – condição que perdura até tornar-se professor titular, em 1998, e aposentar-se compulsoriamente aos 70 anos de idade.

 

 

Atuante também no campo da representação de classe, preside o departamento paulista do Instituto dos Arquitetos do Brasil (IAB/SP) em duas ocasiões: 1972-1973 e 1986-1987. Entre 1987 e 1988, seus projetos para a Loja da Forma e para o Museu Brasileiro da Escultura – MuBE, este também vencedor de concurso, inauguram uma nova fase de reconhecimento público do seu trabalho. Seguem-se a esses os projetos o pórtico da Praça do Patriarca, 1992, no Centro de São Paulo; a reforma da Pinacoteca do Estado de São Paulo, 1993; e o Centro Cultural da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo – FIESP, 1996. Dentre os trabalhos recentes destacam-se o Museu dos Coches, em Portugal, inaugurado em 2015 e o Sesc 24 de Maio, na capital paulista, aberta ao público em 2017 – ambas as obras assinadas em conjunto com o MMBB Arquitetos, e a primeira também com Bak Gordon Arquitetos; além do Cais das Artes, ainda em construção no Espírito Santo, projetado em parceria com o METRO Arquitetos Associados.

 

 

Colecionador de honrarias,  Mendes da Rocha  recebeu o Prêmio Mies van der Rohe de Arquitetura Latino-americana em 2000; o Prêmio Pritzker (“Nobel da Arquitetura”) em 2006; o Leão de Ouro da Bienal de Veneza de 2016; o Imperiale Praemium (Prêmio Mundial de Cultura em Memória de Sua Alteza Imperial o Príncipe Takamatsu do Japão), também em 2016; e a Medalha de Ouro Real de 2017 do Royal Institute of British Architects (RIBA). Em 5 de maio, foi anunciado como o ganhador da Medalha de Ouro UIA 2021, que seria oficialmente entregue em julho próximo, durante a realização do UIA2021RIO.

 

Pode-se dizer que pelo amplo reconhecimento que obtém, no fim dos anos 1990, a arquitetura brasileira recupera parte do interesse que desperta no público estrangeiro entre as décadas de 1940 e 1960. A obra de Mendes da Rocha se alça no panorama contemporâneo simultaneamente como a legítima herdeira desse legado histórico racionalista e como sua atualização crítica no contexto das revisões pós-modernas”, exprime texto contido no Enciclopédia Itaú Cultural.

 

* Com informações de:

Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR). Hotsite Paulo Mendes da Rocha, 2017. Disponível em: <https://www.caubr.gov.br/paulomendesdarocha/>. Acesso em: 24 de Mai 2021.

Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras.  Paulo Mendes da Rocha, São Paulo: Itaú Cultural, 2021. Disponível em: <http://enciclopedia.itaucultural.org.br/pessoa20547/paulo-mendes-da-rocha>. Acesso em: 24 de Mai 2021. Verbete da Enciclopédia. ISBN: 978-85-7979-060-7

 

 

*O conteúdo do Acervo PROJETO está em constante atualização. Algumas matérias publicadas podem apresentar textos em desacordo com as regras ortográficas atuais, bem como imagens em menor resolução que o ideal, ou mesmo a falta delas. Ajude-nos a atualizar o site enviando mensagens aqui.