(Imagem: Cortesia UNA Arquitetos)

Sesc Parque Dom Pedro II é reconhecido na Bienal de Arquitetura de Santa Cruz 2022

A VIII BASC, da Bolívia, aconteceu entre 25 de março e 3 de abril e atribuiu premiações em duas grandes categorias para obras e projetos, onde se destacou este único brasileiro, assinado pelo UNA Arquitetos

Reconnect, uma alusão ao momento global de reconexão ofertado pela situação pandêmica. Este foi o eixo temático da Bienal de Arquitetura de Santa Cruz 2022 (VIII BASC), um dos principais eventos do setor na Bolívia – e América Latina -, ocorrido entre 25 de março e 3 de abril, de forma híbrida, cuja abrangente linha de discussão compilou vasta programação de seminários, fóruns, tours pela cidade, exposições e premiações, dentre as quais duas grandes categorias concedidas a obras e projetos latino-americanos.

Organizado pelo Colégio de Arquitetos de Santa Cruz (CASCZ), o evento contou com júri composto por Ivo Renato Giroto (Brasil), Martin Padrón (Venezuela), Fabián Dejtiar (Argentina/Chile), Roberto Ameneiro (Espanha) e Carlos Álvarez (Costa Rica) elencou 17 destaques nacionais e internacionais, dentre eles o ganhador do Primeiro Prêmio na categoria Projeto – e único brasileiro – Sesc Parque Dom Pedro II, do UNA Arquitetos, coordenado por Fernanda Barbara e Fabio Valentim, agora sócios do UNA barbara e valentim.

(…) Uma diversidade de programas e escalas que vão desde a importância da execução de obras públicas de qualidade; diferentes respostas da habitação privada aos diversos climas da Bolívia; a projetos precisos e modestos de recuperação e intervenção que agregam valor à cidade”, aponta o júri.

 

 

O projeto é parte de um plano encomendado pela prefeitura paulistana a um grupo multidisciplinar da FAU-USP/Fupam, coordenado por Regina Meyer, no qual participaram, além do Una, os estúdios H+F Arquitetos e Metrópole Arquitetos, tanto no desenvolvimento do plano quanto na aplicação de novas travessias, usos, volumetrias, arquiteturas.

Pode-se dizer que a concepção se estrutura “de fora para dentro”, portanto as futuras unidades do Sesc e Senac são resposta à profunda transformação urbana que sofre, no intervalo de um século, o parque Dom Pedro II, que retornou à estaca zero na tarefa essencial de promover a ligação da zona central com o leste de São Paulo.

Ao Una coube a tarefa adicional de se concentrar no chamado Arco Norte do projeto, ou seja, na região limítrofe com o Mercado Municipal e o Palácio das Indústrias, onde já foram demolidos os edifícios Mercúrio e São Vito. O projeto funciona, portanto, como um tripé, vinculando-se as duas novas edificações e usos pareados ao conjunto de edifício comercial e praça com garagem enterrada que se prevê implantar junto à face sul do Mercado. Por meio de tal sistema arquitetônico e urbanístico é que se definiram as diretrizes arquitetônicas das unidades do Sesc e do Senac, no coroamento norte do parque.

 

 

Acesse

Una Arquitetos: Sesc e Senac em SP

Bienal de Arquitetura de Santa Cruz 2022 (VIII BASC)