Selo CAU/DF – Arquitetura de Brasília divulga a lista com 30 indicados

Ao final do processo, oito construções modernas não monumentais do Plano Piloto de Brasília receberão a honraria que destaca autores, bom estado de preservação e manutenção de características originais

(Fotos: 1 a 9 – Joana França | 10 a 19 – Marina Lira | 20 a 30: Victor Machado)

No último 17 de agosto, Dia Nacional do Patrimônio Histórico e ano em que a capital federal completa 60 anos, o Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Distrito Federal (CAU/DF), por meio de sua Comissão Temporária de Patrimônio, lançou o Selo CAU/DF – Arquitetura de Brasília, cujo objetivo consiste em certificar edificações modernas não monumentais do Plano Piloto, que estejam em bom estado de preservação, homenageando igualmente seus autores e as boas práticas de conservação e manutenção predial que preservaram a linguagem arquitetônica do movimento moderno.

De acordo com Daniel Mangabeira, presidente do CAU/DF, tais edifícios, que fazem parte do cotidiano, não foram devidamente valorizados, alguns sendo inclusive alvo de reformas e decorrente distorção de suas características originais. Por isso, defende que o Selo chega para reconhecimento dos profissionais que, até o momento, preservaram essas edificações, assim como incentiva especialistas e toda a comunidade a atuarem como defensores da arquitetura moderna da cidade, alvo de constante desfiguração nos últimos tempos. Também ressalta que o Selo não tem validade de tombamento, mas valor de certificação, pelo CAU/DF, do relevante trabalho de preservação cultural.

Para definir os edifícios merecedores do Selo CAU/DF, os membros da comissão – a saber, Antônio Menezes Júnior, Gabriela de Souza Tenorio, Giselle Moll Mascarenhas, João Eduardo Martins Dantas, além do coordenador Pedro de Almeida Grilo – realizaram diversas visitas às superquadras Norte e Sul de Brasília entre os meses de abril e setembro de 2020. Dentre os quase 1.500 edifícios construídos, 30 foram indicados pelos conselheiros para avaliação final da Comissão de Patrimônio, e contém data de finalização entre as décadas de 1960 e 1970.

Tais edificações se destacaram pelo valor histórico, pela boa conservação das fachadas, pelo cuidado com os pilotis e pela boa relação mantida com o entorno em que se inserem. Ainda foram considerados edifícios já reformados, cuja intervenção tenha respeitado as características originais da edificação. Apenas oito serão escolhidos para receber o Selo que será entregue até o fim deste ano.

A declaração é constituída por uma placa alusiva à obra, a ser fixada nas suas imediações, e vem acompanhada de certificados emitidos pelo CAU/DF e por entidades apoiadoras ao autor do projeto original (ou a um representante familiar), ao autor do projeto de reforma/restauro (caso houver), ao responsável técnico pela execução da obra e ao condomínio. A marca do Selo foi doada pelo arquiteto e urbanista Danilo Barbosa, também coordenador da equipe que criou o projeto das placas de sinalização da cidade em 1976.

A iniciativa tem o apoio do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento Distrito Federal (IAB-DF), da Associação das Empresas de Arquitetura e Urbanismo de Brasília (AEarq), do Sindicato dos Arquitetos do Distrito Federal (Arquitetos-DF), da Associação Brasileira de Arquitetos Paisagistas (ABAP), da Federação Nacional dos Estudantes de Arquitetura e Urbanismo – Regional Centro (Fenea), da Administração Regional do Plano Piloto, da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Habitação (Seduh) e da Secretaria de Turismo (Setur).

Confira a lista dos 30 edifícios indicados Selo CAU/DF – Arquitetura de Brasília

Asa Sul

SQS 105 – bloco H
SQS 108 – bloco I
SQS 113 – bloco F
SQS 113 – bloco H
SQS 203 – bloco C
SQS 204 – bloco K
SQS 207 – bloco E
SQS 210 – bloco C
SQS 303 – bloco A
SQS 308 – bloco E
SQS 309 – bloco E
SQS 311 – bloco F
SQS 312 – bloco F
SQS 313 – bloco B
SQS 314 – bloco K
SQS 402 – bloco K
SQS 404 – bloco H
SQS 405 – bloco J
SQS 416 – bloco C

Asa Norte

SQN 106 – bloco F
SQN 107 – bloco F
SQN 108 – bloco D
SQN 112 – bloco E
SQN 205 – blocos I-J
SQN 206 – bloco I
SQN 315 – bloco D
SQN 315 – bloco H
SQN 411 – bloco F
SQN 416 – bloco H

Acompanhe a localização dos indicados no mapa abaixo