(Foto: reprodução Inhabitat)

Segundo RIBA, saúde mental de estudantes de arquitetura está prejudicada

O levantamento tem a ver com o afeto sofrido pelas crises acentuadas e ocasionadas pelo coronavírus nos últimos meses. Entenda!

O recente estudo realizado pelo Royal Institute of British Architects (RIBA) analisou 398 estudantes de arquitetura para entender como o grupo, por inteiro, vem sendo afetado pelas circunstâncias resultantes da pandemia pelo coronavírus. Sabe-se que os jovens estão sob exaustivas cargas de estresse reforçadas pelas preocupações com os dias vindouros em suas carreiras – mais especificamente, 58% da amostra foi detectada com agravantes em seus quadros de saúde mental e aproximadamente a metade se vê desfavorecida para procura e estabilidade empregatícia.

O relatório aborda questões relacionadas ainda com o convívio social dos estudantes – diretamente associadas às trocas diárias e presenciais que mantinham anteriormente ao isolamento, hoje prejudicadas -, com a percepção relacionada ao método de aprendizagem virtual e trabalho remoto, assim como a realidade sobre situações financeiras atuais e futuras, correlacionadas à economia recessiva.

Os resultados da pesquisa compõem um retrato alarmante para os estudantes de arquitetura – e aqueles que ensinam (…). É preocupante ver o impacto que a pandemia teve na saúde mental e física dos estudantes, e incentivamos aqueles que estão sentindo dificuldade a procurar ajuda. Neste momento desafiador, eles precisam do nosso apoio mais do que nunca”, pontua David Gloster, Diretor de Educação do RIBA.

Saúde mental e física

  • 58% dos entrevistados disseram que sua saúde mental havia piorado por causa da crise do COVID-19;
  • 39% disseram que sua saúde física piorou;
  • 45% estavam se sentindo isolados;
  • 39% não mantém contato com seu grupo de colegas;
  • 41% estão preocupados com o bem-estar de sua família;
  • 42% sentem que podem obter ajuda com seu bem-estar quando precisam;
  • 86% se sentem apoiados por suas famílias; 64% se sentem apoiados por seus colegas; 33% se sentem apoiados em sua universidade; e 16% sentem que não têm apoio.

Ensino e aprendizagem on-line

  • 83% afirmaram que o ensino e a aprendizagem virtual são adequados apenas para algumas partes do currículo;
  • 81% desistiriam de se inscrever em um curso inteiramente on-line;
  • 58% consideram que é um bom ensaio para o futuro digital;
  • 36% dizem que a realidade os desafia a serem mais criativos.

Preocupações com o futuro

  • 48% preocupam-se em conseguir um emprego como arquiteto ao concluir os estudos;
  • 41% não sentem recebem salário necessário para sobrevivência
  • 41% estão preocupados com a situação financeira de suas famílias;
  • 10% dos estudantes tiveram oferta de emprego em algum escritório, mas que foi cancelada posteriormente;
  • 9% ficaram desempregados;
  • 9% pararam de trabalhar para obterem qualificação;
  • 5% não desejam mais ser arquitetos.

Descobertas adicionais

  • 72% dos alunos sentem que estão recebendo uma educação comprometida com a reconfiguração dos métodos de aprendizagem;
  • 65% disseram que o ensino e aprendizagem online não melhorou o foco de seu trabalho;
  • 25% afirmam que o local onde moram não é adequado para trabalharem;
  • 25% afirmam que seus equipamentos e ferramentas não atendem às exigências necessárias para desenvolvimento das funções do trabalho.

 

Leia o documento na íntegra em architecture.com.