Nova área de convivência e gastronomia ao lado da fonte do Rio Itororó — Foto: Secretaria Municipal de Cultura/Divulgação

Retrofit expressivo: Vila Itororó inaugura como novo centro cultural em São Paulo

Tombado como patrimônio histórico pelas instâncias municipal e estadual de São Paulo, o conjunto arquitetônico dos anos 20 recebeu a primeira proposta de restauro e conversão em centro cultural em meados da década de 1970, pelo grupo de arquitetos Benedito Lima de Toledo, Claudio Tozzi e Décio Tozzi, junto à curadora Aracy Amaral e ao paisagista Burle Marx. Desde 2013 em processo de recuperação, o local finalmente engendra programação artística e de lazer e abre ao público na próxima sexta-feira (10/9)

A Prefeitura de São Paulo, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, anuncia a abertura ao público do Centro Cultural Vila Itororó, a ser realizada no próximo dia 10 de setembro, a partir das 18h. Entre os bairros da Liberdade e Bela Vista, onde antes passava o rio Itororó, o local passou por longo processo de restauro, desde 2013 e, agora, poderá ser plenamente utilizado, com segurança, para as mais diversas atividades artísticas e de lazer.

Sabe-se que o conjunto composto por mais de dez edificações do início do século XX foi moradia de aluguel a imigrantes desde 1922, atraídos pela efervescência do café, e ocupa uma área de cerca de seis mil metros quadrados. Tombado pelo CONPRESP em 2002 e pelo CONDEPHAAT em 2005, até o momento, apenas o Galpão permanecia disponível para atividades culturais.

 

 

Para marcar a inauguração, o complexo ganha um projeto de iluminação cênica da artista Lígia Chaim, intitulado ‘Fonte de Luz do Itororó’, e uma celebração noturna com show de Jairo Pereira no Éden Itororó e Projeto Freebeats na Piscina. Já no sábado, dia 11, a Vila estreia no circuito cultural paulistano integrando a Jornada do Patrimônio – evento reconhecido pelo prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte (APCA) que, em 2021, acontece nos dias 11 e 12 de setembro, reunindo atividades diversas ligadas à memória da cidade.

Como parte da programação da Jornada, a Vila recebe espetáculos como a peça ‘Adoniran reencontra Elis na Vila’, dirigida por Paula Klein, que encena o icônico momento vivido pelos músicos nos anos 70 – no sábado, a partir das 18h. O público poderá, ainda, explorar o projeto ‘Vozes do Itororó’, que oferece uma experiência imersiva em áudio 3D, levando os visitantes a uma viagem pelo passado do bairro e da construção. Essa intervenção, idealizada pela ExCompanhia de Teatro, será permanente.

Entre as novas atividades previstas para o Centro Cultural Vila Itororó estão sessões de cinema ao ar livre, às quintas-feiras, com o projeto Cine Clube Éden – uma homenagem ao Clube Éden Liberdade, um espaço esportivo que funcionava ali e que incluía a piscina, que recebe águas do rio Itororó e que, agora, será palco de intervenções artísticas e musicais. A programação, a ser divulgada em breve, ainda prevê a realização de shows intimistas, feiras gastronômicas e de artesanato, oficinas e exposições, e um café.

Por fim, o público também pode contar, desde a inauguração, com o acervo literário voltado, especialmente, para literatura infanto-juvenil, mas que também envolve material relacionado a patrimônio cultural, arquitetura e história, incluindo conteúdo sobre a ocupação da Vila. Futuramente, a biblioteca será integrada ao Sistema Municipal de Bibliotecas de São Paulo.

 

De vila operária à centro cultural

A primeira proposta de restauração do espaço da Vila Itororó e sua conversão em centro cultural nasceu em meados dos anos 1970, por um grupo formado pelos arquitetos Benedito Lima de Toledo, Claudio Tozzi e Décio Tozzi, junto à curadora Aracy Amaral e ao paisagista Burle Marx. No entanto somente em 2006 a Vila foi desapropriada, quando foi decretada área de utilidade pública pelo governo do Estado e pela prefeitura de São Paulo para fins culturais.

Em 2013 o Instituto Pedra inicia a elaboração de um novo projeto de restauro, em parceria com a Prefeitura Municipal de São Paulo, prevendo a utilização de recursos captados através da Lei de Incentivo à Cultura como forma de viabilizar sua execução. O projeto abarcou o levantamento arquitetônico da Vila Itororó, a adaptação/criação de um projeto de restauro e a execução das obras das edificações 5, 6, 7 e 11.

 

Mapa de localização das edificações da Vila Itororó © Via Instituto Pedra

 

Perspectiva artística do conjunto arquitetônico da Vila Itororó restaurado © Via Instituto Pedra

 

As obras tiveram início em 2016, com a primeira etapa de restauro sendo entregue em 2019. No relatório, é possível conferir a programação das obras e atividades culturais entre os anos de 2013 e 2019.

 

 

Acesse

www.vilaitororo.prefeitura.sp.gov.br