© Cortesia de Hiperstudio

Requalificação do Senac de Belo Horizonte será projeto do Hiperstudio

A proposta do escritório paulistano é vencedora de concurso nacional por “dialogar com contextos histórico e cultural locais (...), respeitando a configuração espacial urbana e arquitetônica do Hipercentro” da capital mineira

O Concurso Público Nacional de Anteprojeto de Arquitetura anunciou vencedora a proposta encabeçada pelo escritório paulistano Hiperstudio para requalificação (retrofit) do Complexo de Edifícios – Senac Belo Horizonte, em Minas Gerais. Lançado em dezembro de 2020 pelos Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC) e Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB), o projeto melhor adequou-se ao atendimento das necessidades educacionais, sociais e culturais das edificações, modernizando infraestruturas e atualizando-as às normas e legislações vigentes.

De acordo com as informações disponibilizadas pelo edital do concurso, desde o início a busca foi pelo anteprojeto que, “sem abrir mão de sua contemporaneidade e agregando novos valores ao conjunto”, fosse capaz de “dialogar com o contexto histórico e cultural do local no qual os edifícios existentes estão inseridos, respeitando a configuração espacial urbana e arquitetônica do Hipercentro de Belo Horizonte”, além de permitir experimentação, construção coletiva, vivência do conhecimento na prática, sustentabilidade, conectividade, flexibilidade, inovação, inclusão, empreendedorismo, excelência e autonomia.

A escolha ficou a cargo da Comissão Julgadora composta pelos titulares Sylvio Emrich de Podestá, Francisco Spadoni e Maria Edwirges Sobreira Leal, trio indicado pelo IAB; Ivanil José da Costa Júnior, pelo SENAC em Minas; e Maurici Pizzi Máximo, pelo SENAC; bem como os suplentes Luiz Mauro Passos e Paula Balli Cury, ambos indicados pelo IAB.

Com isso, espera-se proceder para contratação de equipe coordenada por arquitetos urbanistas responsáveis pelo anteprojeto vencedor para desenvolvimento dos respectivos Projetos Executivo de Arquitetura, Projetos Complementares, além da aprovação de seu Projeto Legal.

“Acreditamos numa proposta que preza pela requalificação do conjunto sem ignorar a memória e a herança da arquitetura moderna, encarando o desafio da transformação do conjunto com uma abordagem criteriosa e criativa, visando a economicidade e o aproveitamento máximo das pré-existências, porém lapidando um novo projeto, contemporâneo e paradigmático para o Centro de Belo Horizonte, tanto do ponto de vista urbano quanto institucional”, discorre o memorial de projeto redigido pelo Hiperstudio.

 

 

Segundo a equipe, “o principal investimento foi na potencialização do térreo como urbanidade oferecida às pessoas”. Portanto, ao considerar as diretrizes da Operação Urbana, 43 metros da fachada ativa do térreo é oferecido à cidade, em pilotis que proporcionam permeabilidade visual e fruição pública, que conduz o usuário à grande praça no interior do lote, por sua vez relacionada com o novo bloco de eventos e gastronomia. Ainda, os galpões subutilizados do entorno são sugeridos como possíveis locais de expansão desse passeio, por meio da quadra até a Rua dos Caetés.

 

A partir do existente, esculpiu-se o vazio e o pilotis. O vazio unificou os dois edifícios, e o pilotis liberou o térreo para a cidade”, confirma o escritório.

 

 

 

© Cortesia de Hiperstudio

 

A referida área de convívio ajardinada concentra os principais usos públicos do programa – auditório e bar no primeiro térreo, e restaurante e biblioteca no segundo. A ligação direta deste pavimento superior com a rua viabiliza percurso elevado que, em si, organiza os fluxos de acesso, separados entre público, funcionários, estudantes e professores.

 

Vemos no projeto do Senac BH uma oportunidade para que a instituição ganhe uma nova sede imersa em simbolismo para a cidade, uma arquitetura alinhada à nova realidade de austeridade pós-pandemia, sustentável desde a abordagem projetual até a operação futura do edifício. Um conjunto renovado, que expressa seu valor justamente pelo caráter da transformação, com intervenções assertivas que causem encantamento espacial e promovam o encontro, elevando a visibilidade da instituição na rotina urbana do Centro através de um térreo e uma fachada que são, incondicionalmente, cidade”, finaliza a equipe vencedora.

 

 

Saiba mais

concursoarquiteturasenacbh.com.br