Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco, do BLOCO Arquitetos (Foto: Divulgação/BLOCO Arquitetos)

Recém-lançado, documentário aborda projetos do BLOCO Arquitetos

Nacional e internacionalmente, o escritório brasiliense é reconhecido pela produção da boa arquitetura que, no documentário "BLOCO Arquitetos - Em Construção”, é retratada como uma expressão direta da influência da cidade e da paisagem natural sobre si. A partir de amanhã (4/5), às 21h, o filme estará disponível para o público no canal do Lab Design, no YouTube!

Liderado por Daniel Mangabeira, Henrique Coutinho e Matheus Seco, o BLOCO Arquitetos exibiu na última sexta-feira (29/4), no Cine Brasília, a première do documentário “BLOCO Arquitetos – Em Construção”, uma produção que exibe sete projetos autorais e destacados tanto por mídia especializada quanto prêmios nacionais e internacionais, dentro do  recorte temporal entre 2017 e 2021, em celebração aos 20 anos de atuação do escritório.

O conteúdo filmado procura, dentre outros, mostrar a influência da cidade e da paisagem natural nos projetos de produção do escritório, isto é, de acordo com o trio, assim como os princípios da arquitetura moderna – base de Brasília (DF) – servem de inspiração para o desenvolvimento de obras contemporâneas, essencialmente brasileiras e conectadas aos desafios hodiernos.

O documentário nos aproxima dos expectadores, pois demonstra nossa essência como profissionais dedicados em servir, a quem solicita o nosso trabalho, através de uma atuação responsável e criteriosa, conectada aos princípios nos quais acreditamos”, revela Henrique Coutinho, sócio fundador do BLOCO Arquitetos.

 

Filmado e produzido pelo cineasta Jean Bergerot, o documentário apresenta particularidades da Casa Palicourea (Confira na PROJETO), do edifício-sede do Julião Coelho Advogados (Confira na PROJETO), das Casa Cavalcante (Confira na PROJETO), Casa Vila Rica, Casa das Praças e Casa Morrone, além da sede corporativa do próprio BLOCO, localizado no Edifício Morro Vermelho, de autoria de João Filgueiras Lima (o Lelé), no Setor Comercial Sul, centro de Brasília. Mesmo que de características distintas, segundo os arquitetos, todos os sete exercícios criaram oportunidades para abordagens diferentes entre si, devido particularidades caso a caso.

 

 

No documentário podemos apreciar som e imagem em movimento. E Arquitetura é isso, relatar o uso de um espaço de maneira não estática – o filme trm essa expressão, pois evidencia o que fazemos na prática, sem edição”, discorreu Daniel Mangabeira.

 

Já para Matheus Seco, o documentário é um recorte representativo de uma fase importante: O público poderá ver um momento de transição pelo qual passamos recentemente, já que as filmagens foram iniciadas há mais de cinco anos. Também mostramos um projeto que é muito significativo para o escritório ainda em fase de obra, além de imagens recentes da obra finalizada. Esse é um momento de consolidação de um caminho que trilhamos há vários anos”, finalizou.

Após a première, o título passa a estar disponível para o público a partir de amanhã, 4 de maio, às 21h, no canal do Lab Design, no YouTube. Confira aqui!