(Foto: Reprodução YTAA/Gianluca De Pascale)

Projetos brasileiros no YTAA, prêmio internacional para trabalhos de graduação

Organizado pela Fundació Mies van der Rohe de Barcelona, o Young Talent Architecture Award (YTAA) ocorre a cada dois anos. Nesta edição, o Brasil figura entre os convidados - e marcou presença com 28 projetos entre os inscritos, acessíveis no site da premiação

Parte do prêmio da União Européia para a arquitetura contemporânea – Mies van der Rohe, organizado pela Fundació Mies  van der Rohe, com o apoio do programa Europa Criativa da União Européia, o Young Talent Architecture Award pretende ressaltar o talento de arquitetos em formação, investindo naqueles que serão os responsáveis por desenhar o nosso ambiente no futuro. A iniciativa surgiu do interesse nesse estágio inicial da carreira – tão importante para o desenvolvimento posterior – de estudantes na fase de conclusão do curso ou recém-formados e do desejo de impulsioná-los profissionalmente.

Na terceira edição, o YTAA recebeu a inscrição de 383 projetos de graduação realizados há até dois anos – todos eles selecionados e indicados, após debate interno, pelas escolas de arquitetura participantes. Em função da pandemia de Covid-19, o prazo para submeter o material chegou a ser estendido até 27 de abril de 2020. Agora, ocorrem as sucessivas etapas de seleção do júri: reduzir a lista a cerca de 40 trabalhos, depois a até 12 finalistas e por fim apontar os quatro vencedores.

Além das faculdades e universidades integrantes do programa Europa Criativa, um bom número de escolas localizadas em território europeu (mas externas a essa rede), assim como instituições de ensino superior sediadas em outros países e continentes são chamadas a participar a cada ciclo. As nações convidadas para a edição 2020 são Chile, México e Brasil.

A láurea será concedida aos autores dos três melhores projetos de graduação – tanto no campo da arquitetura, como do desenho urbano ou do paisagismo – de qualquer escola participante, sendo que apenas um dos vencedores virá de um país fora do programa Europa Criativa.

Todos os inscritos podem ser consultados no arquivo do YTAA disponível no site. Entre eles, encontram-se as 28 propostas brasileiras, oriundas de diferentes instituições, estendendo-se de Pelotas (RS) a Fortaleza (CE).

Veja os trabalhos aqui