Presidência do CAU/BR é assumida temporariamente por Guivaldo D’Alexandria Baptista

O arquiteto ocupa o cargo até que aconteça efetiva eleição para presidente, prevista para ocorrer durante 108ª Reunião Plenária Ordinária dos próximos 14 e 15 de janeiro de 2021, com transmissão ao vivo pelo site da entidade

O arquiteto e urbanista Guivaldo Baptista D’Alexandria | Foto: Acervo CAU/BR

 

Finalizada no último 31 de dezembro, a antiga gestão do triênio 2018-2020 dá lugar ao arquiteto e urbanista Guivaldo Baptista D’Alexandria como presidente interino do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) desde 01 de janeiro de 2020. O arquiteto permanece no cargo até a eleição do (a) novo (a) presidente para o triênio 2021/2023, a ser realizada durante a 108ª Reunião Plenária Ordinária, prevista para ocorrer nos dias 14 e 15 de janeiro de 2021, com transmissão ao vivo pelo site do CAU/BR.

Sabe-se que “Entre a data do término do mandato do presidente do CAU/BR e a da eleição do novo presidente, exercerá as funções deste o conselheiro titular mais idoso”, procedimento que vem, portanto, seguido mediante Ato Declaratório N° 16 assinado pelo então presidente Luciano Guimarães, em 28 de dezembro de 2020, perante norma ditada pelo parágrafo 2º. do art. 144 do Regimento Interno do CAU/BR.

Guivaldo d’Alexandria Baptista, conselheiro federal pela Bahia, é graduado em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade Federal da Bahia (1976) e especialista em Construção Civil pela Escola de Engenharia da UCSAL (1977). Possui experiência na área de Arquitetura e Urbanismo, com ênfase em Construção Civil, atuando principalmente nos seguintes temas: organização do trabalho, regulamentação, ética profissional e desenvolvimento solidário. Professor Adjunto da Faculdade de Arquitetura da UFBA, Baptista é Ex-presidente da gestão fundadora do CAU/BA e Conselheiro Federal do CAU/BR na gestão 2018-2020, reeleito para a gestão 2021-2023. Também atuou como Coordenador da Comissão de Ética e Disciplina e membro da Comissão de Política Profissional e membro do Conselho Diretor do CAU/BR.

Quanto a escolha do novo representante, o processo se fará por meio de votação secreta, contemplando os 28 novos conselheiros, que neste ano, em razão da pandemia da Covid-19, acontecerá de forma híbrida, ou seja, parte dos conselheiros federais presentes em Brasília, no dia da eleição, e outros em formato virtual – assim como já têm sido reuniões da entidade desde fins de março de 2020. Um sistema eletrônico permitirá a realização concomitante da votação dos presentes e dos participantes on-line.