ACROS center Fukuoka, Kyushu Island, Japão, projeto de Emilio Ambasz (Foto: Emilio Ambasz & Associates)

Novo Ambasz Institute do MoMA se dedicará à interação entre arquitetura e ecologia

Estabelecido pelo MoMA, com financiamento pela Fundação Legacy Emilio Ambasz, o objetivo do Instituto consistirá no fomento de diálogo e pesquisa em torno da relação entre ambiente construído e natural

Localizado no campus de Midtown Manhattan do Museu de Arte Moderna de Nova Iorque (MoMA), no Departamento de Arquitetura e Design, o novo Instituto Emilio Ambasz será dedicado a compreender a interação entre arquitetura e ecologia, a fim de destacar a necessidade urgente de transformação ecológica em âmbito global. O estabelecimento, feito por parte do Museu, foi possível graças à doação de US $ 10 milhões realizada pela Fundação Legacy Emilio Ambasz – considerado o pai e poeta no histórico da arquitetura verde mundial.

Os objetivos do Instituto, por meio de uma série de programas curatoriais e iniciativas de pesquisa, consistem em fomentar o diálogo e facilitar a pesquisa em torno da relação entre ambiente construído e natural, concentrando-se, sobretudo, em iniciativas digitais que possam promover uma conversa global sobre a questão na tentativa de alcançar variedade de público. O Instituto estudará especificamente abordagens criativas para projetar em diversas escalas do ambiente construído – edifícios, cidades, paisagens e objetos.

Questões ecológicas e a crise climática contínua são os desafios mais urgentes de nosso tempo, não apenas para a arquitetura, mas para a humanidade como um todo. Estou entusiasmado que, com o novo Ambasz Institute no MoMA, o Departamento de Arquitetura e Design estará em uma posição única para moldar o discurso e promover a mudança necessária no campo do design em direção a um futuro mais justo e ecológico”, pontuou Martino Stierli, curador-chefe de arquitetura e design do The Philip Johnson no Museu de Arte Moderna.

O estabelecimento do Ambasz Institute é também importante oportunidade para o MoMA continuar sua liderança global em questões de sustentabilidade, ao mesmo tempo em que celebra e cultiva o conhecimento público mais profundo da arquitetura e do design. Nos próximos anos, o Museu organizará e apresentará uma ampla exposição focada no surgimento da arquitetura verde – a novidade também será acompanhada da nomeação de um Diretor para o Instituto

Sabe-se que a relação profunda de Emilio Ambasz com o Museu de Arte Moderna se estende por mais de cinco décadas. Como Curador de Design no Departamento de Arquitetura e Design do Museu, entre 1969 a 1976, Ambasz organizou várias exposições inovadoras, incluindo Itália: The New Domestic Landscape (1972); A Arquitetura de Luis Barragan (1974); e The Taxi Project: Realistic Solutions for Today (1976). Como arquiteto e designer industrial pioneiro, Ambasz também está representado por mais de 20 obras na coleção do Museu. Anteriormente ao donativo destinado ao Instituto Emilio Ambasz no MoMA: Para o Estudo Conjunto do Ambiente Natural e Construído, a entidade se beneficia de patrocínios oferecidos pelo Instituto Emilio Ambasz por mais de quarenta anos.

A noção ocidental das criações do Homem como entidades distintas e separadas – em contraste com a Natureza – esgotou seu capital intelectual e ético. Um jardim emergente feito pelo homem está ultrapassando aquele que nos foi originalmente dado. Precisamos conceber uma arquitetura que seja a personificação do pacto de reconciliação entre natureza e construção. Devemos criar modelos alternativos de futuro que proponham uma vida melhor para orientar as nossas ações, isso se não quisermos perpetuar as condições presentes. É antiético o projeto arquitetônico não tentar propor melhores modos de existência, tarefa que pode confundir a imaginação e paralisar a esperança. Não podemos parar de buscar pelo melhor”, finaliza Ambasz.

Saiba mais

moma.org/emilioambaszinstitute

moma.org/emilioambasz