(Foto: Eyrise)

Nova esfera em Leipzig é obra de Niemeyer

Recém-inaugurado, o projeto de aço, concreto e vidro hoje repousa sobre uma fábrica no leste da Alemanha mediante concepção do afamado arquiteto brasileiro em seus últimos anos de vida

Uma das últimas obras de Oscar Niemeyer foi recentemente inaugurada na cidade de Leipzig, situada no leste alemão. Elaborada pelo arquiteto brasileiro em 2011, um ano anterior a sua morte, a proposta seguiu pelo desenvolvimento de seu assistente, o arquiteto e urbanista Jair Valera, e posterior execução pelos arquitetos do escritório Harald Kern, sendo inaugurada no último mês de outubro de 2020.

A obra póstuma, já reconhecida por ‘Esfera Niemeyer’, foi proveniente de uma troca de bilhetes entre Ludwig Koehne, o dono da fábrica Kirow/HeiterBlick – produtora de bondes e guindastes -, e o próprio arquiteto, após a breve visita do alemão às obras do brasileiro, mais especificamente nas cidades de Brasília, Rio de Janeiro e Niterói, em 2007. “Estávamos negociando há mais de uma semana com a Thyssen Krupp na entrega de transportadores para a nova usina siderúrgica TKCSA, quando tive um dia de folga. A experiência de Brasília foi como visitar as pirâmides do Egito ou a Acrópole de Atenas. Uma sensação tão grande de espaço e proporções perfeitas. Passei as dez horas completas nos prédios, que pareciam um presente para a humanidade”, recorda o empresário. Na escrita, Koehne afirmou o interesse de construir, na Alemanha, semelhantemente às obras que houvera visitado – seria uma edificação para “ser vista de longe e que, de dentro, oferecesse um lindo panorama da cidade”.

Dessa maneira, a necessidade de expandir a ala de refeitório da empresa deu suporte ao programa de necessidades para a elaboração do projeto, destinado às refeições e ao descanso para o expediente dos trabalhadores, como também aos encontros noturnos oferecidos pelo bar. Tal simplicidade programática foi moldada por Niemeyer para ocupar uma esfera de 12 metros de diâmetro, acoplada de forma singela sobre a antiga construção do complexo industrial Techne Sphere.

Quando começamos a construir a Esfera Niemeyer, em 2017, eu estava lendo a carta que lhe enviamos contendo o resumo da extensão da cantina. Todos ficaram impressionados com forma grandiosa e simples que Oscar Niemeyer resolveu o desafio de colocar um pavilhão interessante no terraço, que seria ao mesmo tempo adequado como espaço do restaurante, atraindo muitos visitantes e transformando o local industrial em uma área urbana atraente e animada (…), com o objetivo de integrar a fábrica à cidade, trazendo beleza para um local onde normalmente não se esperaria”, conta Koehne, ao Correio Brasiliense.

Concretada in loco, a estrutura projetada por Niemeyer teve execução a partir de 50 moldes de uma fôrma de madeira que, posteriormente, somaram-se às esquadrias de produzidas pela Eyrise e à fachada de vidro, por sua vez, composta por “144 módulos de vidro triangulares fabricados um à um”, segundo uma tecnologia adaptativa às condições de iluminação através de um aplicativo específico, valor tributado para a composição de cristal líquido do vidro – semelhante àquele aplicado em telas de smartphones. “Em menos de um segundo alternamos a passagem de luz de 50% para 2%, fundamental para reduzir o consumo de energia e ar condicionado”, pontua Koehne à Veja.

 

(Foto: Paul Clemence / ARCHI-PHOTO)

 

Ainda o zelo pela antiga edificação da indústria solicitou o macete estrutural incluído na caixa de escada e elevador. Trata-se de uma base de ferro e aço que sustenta o novo volume e permite o distanciamento de dois centímetros em relação às paredes de tijolos preexistentes – delicadeza que inspirou Eduardo Longo, autor brasileiro da conhecida ‘Casa Bola’ (1979), em São Paulo – essa com 8 metros de diâmetro -, a pronunciar-se, também à revista Veja:

É uma beleza. Quando se comparam os dois trabalhos, o meu parece uma singela maquete. (…) Uma esfera é o volume arquitetônico que exige menos material de superfície para maior volume interno”, elogia Longo.

Uma outra curiosidade que acompanha a construção desse espaço arquitetônico é a mudança, concedida pela prefeitura, do nome da antiga rua para Niemeyer Strasse (em tradução literal, Rua/Estrada Niemeyer): “Já temos muito interesse dos habitantes de Leipzig. A Esfera Niemeyer é, pode-se dizer, o assunto da cidade. Como sinal de reverência a Oscar Niemeyer, a rua que leva tanto à Esfera quanto à fábrica foi renomeada para Niemeyer Strasse”, continua Koehne.

 

 

Saiba mais em: Projeto de Niemeyer está prestes a ser concluído na Alemanha.