(Foto: cortesia Nitsche Arquitetos)

Nitsche Arquitetos intervém em empena cega adjacente ao Parque Minhocão (SP)

Nomeada Eclipse, a arte urbana põe em voga questões efêmeras e faz olhar para o constante ciclo de renovação da cidade

Mesmo que a arte urbana caracterize-se como passageira, esta sobretudo tem dias contados para ser observada em sua totalidade. Assinada pelo escritório paulistano Nitsche Arquitetos, o nome ‘Eclipse’ reforça a identidade efêmera da intervenção recorrendo, desde o título, ao fenômeno cósmico de poucos minutos de duração.

Desenvolvida para a empena cega da esquina composta pelas ruas Marquês de Itu e Amaral Gurgel, na Vila Buarque, a arte minimalista surge a partir da demolição de um antigo imóvel que dará lugar ao novo edifício de habitação social assinado por Isay Weinfeld. Justamente este ciclo de renovação urbana, assim como tantos outros processos socioeconômicos envolvidos, busca ser evidenciado pela intervenção, que gradualmente será encoberta pelos avanços de implantação do novo empreendimento – tal qual um eclipse.

É um acontecimento cósmico que sugere olhar para os processos de demolição e construção da cidade, materializados em camadas que vão se sobrepondo constantemente”, explica João Nitsche, sócio fundador do escritório, ao lado de seus irmãos Lua e Pedro Nitsche.

A intervenção é visível de vários pontos – principalmente pelos pedestres que circulam pelo Parque Minhocão, capazes de observá-la durante todo período de construção do prédio. Ainda assim, a partir da Rua Amaral Gurgel, pode-se também adentrar ao terreno e interagir com a obra de arte.

Elaborada a partir de poucos recursos, para o círculo maior (24 metros de diâmetro) recorreu-se a uma plataforma articulada que atinge a altura máxima da empena – funcionando como um grande compasso, foram utilizados apenas bucha, parafuso, cabo de aço, brocha e tinta para pintura. O mesmo material se repete para composição dos círculos menores na base (2,20 metros de diâmetro), porém com a substituição do cabo de aço por cordões mais leves de poliestireno e uma brocha pequena de uso manual – também possível de ser manuseada pelo público.

De baixíssimo custo, todo o trabalho foi feito em um único dia, mas a ideia é que as filmagens continuem enquanto o novo edifício é construído”, continuou João.

Integra o repertório do escritório a atuação sobre fachadas e proposição de trabalhos voltados à transformação de empenas cegas – em 2015, por exemplo, inaugurou-se o ‘Empena Viva’, também nos arredores do Parque Minhocão. Pode-se dizer que ambos utilizam os edifícios antigos, aos quais se sobrepõem, como planos de fundo integrantes das intervenções, com o propósito de mantê-los vivos na memória da cidade.

 

 

Eclipse

Autor Nitsche Arquitetos
Ano do projeto 2019
Local Rua Marquês de Itu, 335, Vila Buarque, São Paulo – SP
Técnica Tinta, brocha, cabo de aço e plataforma articulada
Características Empena cega (720 m²) e círculo de 24 metros de diâmetro
Execução Grupo F-theo
Vídeo Pedro Mascaro
Apoio Magik JC