Desenho de Le Corbusier que integra a presente mostra (Imagem: reprodução / Teatro dell'architettura de Mendrisio)

Mostra registra os primeiros desenhos de Le Corbusier

Em território suíço, a exposição demonstra a importância atribuída pelo arquiteto à prática investigativa do desenho já em sua primeira fase acadêmica e profissional

Até 24 de janeiro de 2021, o Teatro dell’architettura de Mendrisio, na Suíça, apresenta a mostra dos “Primeiros Desenhos de Le Corbusier”, do período de 1902 a 1916, composta por 80 registros históricos, originais e inéditos do acervo salvaguardado pelas instâncias públicas e privadas do país, além de reproduções daquelas sob posse da parisiense Fundação Le Corbusier. Sabe-se que os desenhos da exibição são em grande parte inéditos, possibilitando ao público, pela primeira vez, a oportunidade de aprender a partir de um conteúdo raro de documentos.

Com curadoria de Danièle Pauly, as obras selecionadas para esta exposição mostram, sobretudo, a importância que Le Corbusier atribuía ao desenho desde o início de sua carreira, entendendo tal maneira de expressão como uma forma de abordagem da realidade, um instrumento de observação.

Ainda os trabalhos expõem o período inicial da vida acadêmica e profissional de Corbusier, mais especificamente desde o ano em que passou a frequentar a Escola de Artes Aplicadas de La Chaux-de-Fonds, sua cidade natal, até ao ano anterior a sua mudança definitiva para a França e o estabelecimento do estúdio de arquitetura em Paris.

Segundo o histórico, o período retratado pela composição da mostra aponta o nascimento da vocação de Charles-Edouard Jeanneret, o futuro arquiteto Le Corbusier (1887-1965). Após sua primeira intenção em seguir carreira como pintor, Corbusier passou a frequentar a Escola de Artes Aplicadas, onde ingressou em departamentos de relojoaria e arquitetura, entre 1902 e 1907. Em seguida, a inspiração do arquiteto seguiu pela experiência acumulada no ateliê de Auguste Perret, em Paris, entre 1908 e 1909, decorrida de visitas frequentes a museus e encontros com arquitetos europeus de vanguarda no início do século XX. Finalmente incentivado por seu mentor William Ritter, suas viagens de estudo entre 1907 e 1911 culminaram em uma longa jornada ao Oriente, influenciando profundamente seus projetos nos anos posteriores.

A honraria à tal produção inicial do reconhecido arquiteto também marca a publicação do primeiro volume do Catálogo Raisonné Des Dessins de Le Corbusier, que conta com edição por Danièle Pauly, publicado pela AAM-Bruxelas (em coedição com a Fondation Le Corbusier) e financiamento pela Fundação Teatro dell’architettura de Mendrisio.

 

 

Para mais informações, acesse o site do Teatro dell’architettura de Mendrisio.