© Cortesia dos autores

Ludicidade embasa proposta vencedora do concurso ‘Um Novo Portal’

O certame desafiou estudantes e arquitetos recém-formados a pensarem em estratégias urbanas de vivificação do Portal Mario Totta às margens do Guaíba, na capital gaúcha. O destaque da edição protagoniza a criança no espaço público

Realizado pela Minimum, em parceria com o KS Arquitetos e a Prontosul, o concurso nacional de ideias ‘Um Novo Portal’ anunciou as propostas que mais fizeram jus ao exercício de repensar formas de requalificação do Portal Mario Totta, situado na orla do Guaíba, em Porto Alegre.  O desafio consistia em promover vivacidade ao local através de estratégias urbanas e arquitetônicas.

Segundo os critérios de avaliação – os quais consideraram apresentação, design, criatividade, funcionalidade e sustentabilidade – as três propostas selecionadas vislumbram o Portal Mario Totta como um potencial espaço de convivência, permanência e contemplação, abrangendo características de infraestrutura, segurança, sustentabilidade, viabilidade de execução, sem comprometer as diretrizes preestabelecidas pela Prefeitura de Porto Alegre – por exemplo, não se adequa a inserção de equipamentos que gerem forte atração de público e trânsito, incompatíveis com o caráter de baixo tráfego da via local.

Neste sentido, é necessário destacar que, na zona sul da capital gaúcha, vias culminantes no lago Guaíba configuram espaços urbanos residuais que, ao se denominarem “portais”, foram então criados com a intenção de transformar as relações da população com o rio. Entretanto, até o momento, apenas o Portal Dona Irena (Rua Armando Barbedo) figura como uma das oito áreas totalmente requalificada.

Ampliando o cuidado ao Portal Mario Totta, as equipes de estudantes de Arquitetura e Urbanismo, assim como arquitetos recém-formados, tiveram ainda a oportunidade de apresentarem seus pensamentos ao júri, durante o evento ocorrido no último 26 de junho, momento em que se decidiu o grupo vencedor e a classificação final para segundo e terceiro lugares.

Destaque da edição foi então a equipe composta pelos recém-formados na Pontifícia Universidade Católica do Paraná (PUCPR), Isabelly Zucco, João Macknight, Loren Dias e Richard Viana. Conjuntamente, elaboraram o projeto que se embasa no conceito de ludicidade, com o objetivo de imprimir o universo infantil no espaço.

 

 

© Cortesia dos autores

 

Encontramos a criança como protagonista, por consistir na geração do futuro e ser um público alvo que atrai todos as faixas etárias (…). Entendemos que o lúdico é uma atividade humana que supõe contextos sociais (…) e possibilita criatividade, interação e crescimento sadio através dos relacionamentos entre grupos, desenvolvendo seu potencial cognitivo, social e motor”, informa a equipe.

 

Dessa maneira, o Portal Mario Totta se assume como uma escola às margens do Guaíba, e passa a ser reativado por estímulos visuais, cognitivos, táteis, auditivos e olfativos, a partir da metodologia calcada em educação ambiental que, por sua vez, abrange uma série de eixos temáticos, como economia, sustentabilidade e criatividade.

O projeto de 580 metros quadrados conta com horta comunitária, bicicletário, bebedouro, muro educacional de aproximadamente 50 metros, bosque com bancos e balanças, deck de madeira com redário e mobiliários de recreação infantil. Com relação aos eixos de economia e sustentabilidade, houve um diagnóstico das condições do terreno para revitalização ambiental, de modo a preservar flora existente, propor espécies nativas e excluir movimentação de terra.

Para tanto, a equipe atentou-se aos eixos e pavimentações preexistentes: “Já que o portal se encontra à margem do rio, precisávamos pensar no tratamento paisagístico compatível com umidade e possíveis cheias do Guaíba. Ao final, são 530 metros quadrados de área permeável, ou seja, 90% do projeto”, finaliza o grupo.