Livro ‘Arquitetura e escrita: relatos do ofício’ pede apoio no Catarse!

Dentre vasto material, o volume traz antologia de 24 entrevistas com historiadore(a)s e crítico(a)s de arquitetura do Brasil e do mundo, e deseja contribuir com o preenchimento da “lacuna” que é a escassez de grandes publicações em português sobre perspectiva e rumos no movimento de revisão dos modos de fazer história e crítica de arquitetura. Apoie a iniciativa!

“Nas últimas décadas, em distintos países do mundo, a escrita histórica em arquitetura vem passando por mudanças formidáveis. O aparecimento de compêndios e manuais de método em historiografia e crítica, de eventos e coletâneas dedicados a esse universo da escrita, de biografias e antologias de textos de grandes autores, e de números temáticos inteiros de revistas da área, é apenas a face mais visível desse movimento de revisão dos modos de fazer história e crítica de arquitetura.

O impacto dessas mudanças é bastante amplo também nas salas de aula, na pesquisa especializada e no conhecimento da arquitetura, reposicionando-a nas discussões sobre cultura, política e sociedade, ampliando seus diálogos com as artes, a filosofia, as ciências humanas, ecoando as agendas teórico-críticas da vez: a semiologia, o marxismo, a fenomenologia, o pós-estruturalismo, os estudos culturais, pós-coloniais, de-coloniais, as questões de gênero, raça, corpo, entre outras.

No Brasil, com a expansão da pesquisa e da pós-graduação a partir dos anos 1990, a escrita de história da arquitetura também vem ganhando densidade e capilaridade, expressando demandas não somente ligadas à educação e à disciplina, mas colocadas por outros âmbitos institucionais, meios patrimoniais, a imprensa, museus, espaços culturais e organizações da sociedade civil. Ainda assim, contudo, é patente a escassez de publicações de peso em português que coloquem em perspectiva os rumos e os usos que o campo da história vem assumindo nas últimas décadas”.

Conforme introduz o descritivo da campanha on-line no Catarse, ‘Arquitetura e escrita: relatos do ofício’ é uma contribuição ao preenchimento dessa lacuna. Reúne 24 entrevistas com importantes historiadores(as) e críticos(as) brasileiros(as) e estrangeiros(as), pertencentes a distintas gerações e matrizes intelectuais, que iluminam suas trajetórias de formação, filiações e principais trabalhos na área, além de posições metodológicas e interpretativas, e seus diálogos com outros autores e disciplinas. As entrevistas são realizadas pelos organizadores – José Lira, Felipe Contier, João Sodré, Jonas Delecave, Paula Dedecca, Samira Chahin e Victor Próspero – ou por colaboradores convidados.

O livro ainda integra uma série de mais dois volumes, a serem brevemente publicados, em que o primeiro é composto de ensaios antológicos e contemporâneos, problematizando objetos clássicos e temas emergentes no campo historiográfico. Já o segundo, organiza análises inéditas de trajetórias e contribuições individuais de historiadores(as) e críticos(as) do passado e do presente, em sua maioria brasileiros(as).

 

 

Introduzidas por uma reflexão em conjunto e por um ensaio fotográfico de autoria do artista Rubens Mano, as entrevistas foram agrupadas em cinco chaves:

  1. Prismas do estético, com Anthony Vidler, Otília Arantes, Sophia Telles, Carlos Comas, Carlos Brandão e Gustavo Rocha-Peixoto;
  2. Patrimônio como princípio, com Ramón Gutierrez, Carlos Lemos, Geraldo Gomes e Monica Junqueira;
  3. O tecido da história, com Gwendolyn Wright, Jean-Louis Cohen, Jorge Francisco Liernur, Carlos Martins, Adrián Gorelik e Margareth Pereira;
  4. Cultura e materialidade, com Kenneth Frampton, Sérgio Ferro, Sylvia Ficher e Ana Luiza Nobre; e
  5. Entre projetos e propósitos, com Hugo Segawa, Ruth Verde Zein, Abilio Guerra e Fernando Lara.

 

Ao mesmo tempo que esclarece trajetórias das mais significativas, o volume se propõe a contribuir para uma revisão abrangente de seus legados intelectuais, e das questões e dilemas já enfrentados, de modo a alimentar novas possibilidades de atuação em história e crítica de arquitetura.

A pluralidade de trajetórias e vozes reverbera não apenas nas leituras especializadas, mas revela conexões variadas com o campo ampliado da arquitetura, incluindo a prática projetual, urbanística e patrimonial, a atuação do arquiteto, do historiador e do crítico na política, na cultura e nas instituições, o significado das formas edificadas, a sua produção material e modos de apropriação social.

 

 

Para alcançar êxito em sua publicação, o volume necessita de apoio financeiro coletivo, já disponível na Catarse, plataforma on-line para arrecadação de financiamentos a iniciativas culturais e de conhecimento. A contribuição pode ser feita até o próximo 3 de dezembro, sendo importante lembrar que cada valor doado confere recompensas, variadas entre o próprio volume impresso, ecobag, fotografia exclusiva de Rubens Mano, marcador exclusivo de Dárkon V Roque, palestra, agradecimentos especiais, e mais. Participe!

 

Arquitetura e escrita: relatos do ofício
Projeto gráfico
Dárkon V Roque
Ensaio fotográfico e imagem da capa Rubens Mano
Capa formato – fechado 135 x 205 mm, aberto 447 x 205 mm; papel – supremo 250g; impressão – 2×1 cores
Miolo páginas – 512p.; formato fechado – 135 x 205 mm, aberto – 270 x 205 mm; papel – offset 90g, impressão – 1×1 cor
Campanha Catarse Contribua através do link
Informações sujeitas a modificação, conforme finalização do livro