Lançado ‘Plano Emergencial para Bairro do Jardim Pantanal’

O documento apresenta estudos do bairro, situado na Zona Leste de São Paulo, diretrizes para a contenção da COVID-19 e mitigação de seus impactos, bem como propostas de articulação comunitária e social

O Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento de São Paulo (IABsp), em parceria com o projeto Urbanizar, do Instituto Alana, lançou na última quinta-feira (10/6) o ‘Plano Emergencial e Propostas Iniciais para o Plano de Bairro do Jardim Pantanal’. Sabe-se que o desenvolvimento colaborativo do material se deu ao longo de 2020 e meses iniciais do presente ano, por meio de oficinas e diálogo com os moradores da região. A iniciativa integra ações para a 13ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo, prevista para realizar-se em 2022.

O documento apresenta, na primeira parte, a leitura urbana e social do território, onde foram identificados, a partir da análise dos dados oficiais existentes e da escuta dos moradores locais, os principais desafios a serem superados. Já em continuação, evidenciam-se as diretrizes emergenciais para a contenção da COVID-19 e a mitigação de seus impactos, focadas nas questões de saúde, violência doméstica e geração de emprego e renda. O capítulo final apresenta propostas para a articulação comunitária e social, bem como a indicação de atores públicos e sociedade civil responsáveis pelas ações, a fim de orientar o trabalho de incidência política necessário para a implementação efetiva do plano.

 

Com o processo participativo e o lançamento da publicação, espera-se estimular o debate entre representantes do poder público, das comunidades, de estudantes e profissionais da arquitetura e de áreas afins e, dessa forma, contribuir para a construção de cidades mais justas e democráticas”, afirma nota oficial veiculada pelo Instituto Alana.

 

O ‘Plano Emergencial e Propostas Iniciais para o Plano de Bairro do Jardim Pantanal’ pode ser conferido na íntegra através do link. Abaixo também é possível conferir o evento de lançamento, que contou com a apresentação de Leila Vendrametto, coordenadora do projeto Urbanizar no Instituto Alana, e Simone Gatti, coordenadora dos Núcleos em Rede da 13ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo; com os convidados Edilson Cruz, diretor da EMEF Virgilio de Mello Franco, Miriam Falótico, bióloga na Secretaria do Verde e Meio Ambiente de São Paulo (SVMA), Reginaldo Pereira, presidente da Associação de Moradores e Amigos do Jardim Pantanal e Adjacências (Amojap), Vivian Vieira, moradora do Jardim Pantanal, e Wilson Roberto dos Santos, gerente da Unidade de Gerenciamento Regional da Sabesp; além da mediação de Fernando Túlio Franco, presidente e coordenador da Comissão de Política Urbana e Habitação Social da direção nacional do IABsp, e Karina de Souza coordenadora da 13ª Bienal Internacional de Arquitetura de São Paulo.

 

* com informações do Instituto Alana