Assinado pelo Metro Arquitetos, projeto expográfico para a mostra ‘Embalagens: Designs Contemporâneos do Japão’ | Foto: Wagner Romano

JHSP traz design e cultura do Japão em mostra sobre embalagens

Guiada pelo termo "tsutsumu" - palavra japonesa que significa “embrulhar”, “empacotar” -, a exposição apresenta o ideal nipônico atribuído às embalagens, que remete à proteção daquilo que é precioso. Disposta na Japan House São Paulo até o próximo 14 de março, o projeto expográfico é ainda assinado pelo paulistano Metro Arquitetos

‘Embalagens: Designs Contemporâneos do Japão’ é o tema da exposição em cartaz no segundo andar da Japan House São Paulo (JHSP) até o dia 14 de março de 2021. Elaborada em parceria com a Japanese Package Design Association (JPDA), empresa responsável pelo Japan Package Design Awards – prêmio que celebra, desde 1985, designers que criam embalagens com foco nas premissas de criatividade, estética, usabilidade, valor e potencial mercadológico – a mostra apresentará itens que revelam muito do comportamento do consumidor e tradições e costumes presentes no cotidiano japonês.

O prêmio, realizado bienalmente no Japão, consolidou-se como um importante reconhecimento aos designers no país e teve, por exemplo, Kenya Hara, celebrado designer e um dos idealizadores do projeto global Japan House, como um dos nomes de destaque já premiados. A mostra, que chega para estimular um intercâmbio de ideias entre o Brasil e o Japão, traz para o público brasileiro soluções de design, sustentabilidade e estilo de vida presentes atualmente no mercado japonês.

Sabe-se que as embalagens têm importância fundamental na cultura nipônica, evidenciado pelo termo “tsutsumu” – em livre tradução para o português como “embrulhar”, “empacotar” -, cujo ideograma simboliza a imagem de uma criança dentro do ventre da mãe, remetendo à ideia de proteger aquilo que é precioso.  As embalagens atrativas revelam, por exemplo, a importância do ato de presentear como parte de um código de etiqueta no Japão, além do quanto o usuário nipônico preza embalagens práticas e sustentáveis no seu dia a dia.

A exposição busca apresentar os motivos pelos quais o Japão é admirado mundialmente pela cultura de embrulhar, colocando recipiente e conteúdo no mesmo patamar de importância, sendo o invólucro de qualidade um sinal de respeito à pessoa que irá receber o objeto, carregando aspectos importantes do conceito de Omotenashi, de hospitalidade e tratar bem ao outro.

 

 

“São objetos que dizem muito sobre a cultura japonesa, que chamam a atenção por sua estética e pela importância dada a cada detalhe, mas que também permitem um panorama geral do hábito de consumo no país atualmente. Esperamos também inspirar designers e empresas nacionais que buscam por essa combinação entre produto, design e sustentabilidade, como forma de entregar uma experiência completa ao consumidor. O refinamento da embalagem valoriza ainda mais o produto interior e merece o mesmo cuidado de desenvolvimento, algo nítido nessa mostra”, afirma Natasha Barzaghi Geenen, Diretora Cultural da JPSP e curadora da mostra.

Entre os itens da mostra estão marcas de alimentos, bebidas e cosméticos em embalagens afetivas e divertidas; ecologicamente corretas (como peças que abdicam de rótulos como uma prática para gerar menos resíduos); e embalagens reutilizáveis. O design bem pensado valoriza, portanto, o melhor de cada produto e pode partir de técnicas mais tradicionais e milenares como o Furoshiki – técnica japonesa que utiliza tecidos quadrados para envolver, embalar e proteger os mais variados tipos de objetos por meio de amarrações -, até as mais complexas e tecnológicas, como um frasco de loção produzido com vidro super reciclado.

O detalhe da expografia

Parte igualmente importante da mostra é a forma como o conteúdo se apresenta ao visitante. Pela terceira vez parceiro da JHSP, o escritório paulistano Metro Arquitetos foi responsável por organizar o conjunto de embalagens na estrutura que faz alusão ao ambiente comercial, correlacionada à tradição construtiva japonesa. A grelha regular, composta por varetas e prateleiras em madeira de reflorestamento, dispõe as peças sob iluminações focadas e, através de um jogo de transparências – esse configurado pelo próprio mobiliário expositivo -, o projeto unifica o percurso.

 

Imagem: cortesia Metro Arquitetos

 

Ocupar a totalidade da área expositiva disponível com uma malha regular de varetas finas e sobrepostas foi o ponto de partida do projeto. Para receber os objetos, prateleiras de diferentes tipologias foram organizadas, preservando muitos vazios e criando diversos eixos visuais entre os corredores”, aponta o descritivo.

Declarada a suma importância dos invólucros, a equipe do Metro optou ainda por materiais de cores semelhantes àqueles presentes na sala expositiva do espaço – amadeirado e branco. Dessa forma, a expografia é bastante neutra em detrimento aos tons das embalagens, que permanecem como pontos focais aos visitantes, valorizando-se a apreciação detalhada e intimista.

 

 

 

Embalagens: Designs Contemporâneos do Japão
Local
Japan House São Paulo – Segundo andar
Endereço
Avenida Paulista, 52 – Bela Vista, São Paulo
Período
19 de janeiro a 14 de março de 2021
Horários Terça-feira a Domingo, das 11h às 17h
Acesso gratuito e mediante reserva online antecipada