IAB-SP: 2ª mostra do Cinecubo reflete sobre decorrências pandêmicas

Com início na próxima semana (15/9), a coletânea é resultado do chamamento público de trabalhos ocorrido no primeiro semestre deste ano e reúne curtas que tematizam direta ou indiretamente o Brasil na pandemia

O Cinecubo do Instituto de Arquitetos do Brasil – Departamento de São Paulo (IAB-SP) convida a todos para a 2ª Mostra de Curtas a realizar-se nos dias 15, 22 e 29 de setembro, às 19h30, sempre pelos canais YouTube e Facebook do Instituto. Nessa edição, a série de trabalhos apresenta reflexões sobre o Brasil a partir dos vieses delineados pela atual conjuntura pandêmica, ainda incerta.

As produções foram recebidas com base na chamada pública que se estendeu até o final de junho deste ano, e selecionadas em duas etapas: a primeira tendo a equipe do Cinecubo como júri, e a segunda contando com os convidados Dayane Tropicaos, Diego Souza Silva, Rubens Machado, Sabrina Fontenele e Mariana Souto, de acordo com os temas:

  • Intimidade, corpo e ambiente doméstico para discutir o universo subjetivo e simbólico decorrente dos três aspectos em constante relação dentro de casa;
  • Afetos e comunidade, que retrata a relação com o próximo no momento de isolamento;
  • E a cidade?, abordando o espaço urbano e coletivo quando prevalece o distanciamento.

Deles decorrem pontuações acerca dos significados de realizar cinema nos dias atuais, do reinventar das relações pessoais, das redes de apoio, da violência doméstica, da violência de estado e das renovadas formas de ver e vivenciar a rua e os espaços íntimos.

Em 15 de setembro, próxima terça-feira, a primeira sessão, intitulada Arqueologia das Imagens: Escavações e Erupções, contará com a participação dos realizadores Cecília da Fonte, Felipe André Silva, Isabel Ávila, Luiz Malta e Caio Zatti (a confirmar), além dos membros do júri Diego Souza Silva, João Paulo Campos e Nana Maiolini. Confira a programação e participe!

Sessão 1 – Arqueologia das Imagens: Escavações e Erupções
Data 15 de setembro de 2020, terça-feira
Horário 19h30
Transmissão YouTube e Facebook do IAB-SP

Títulos

Isto é um filme (Cecília da Fonte, 2020, 3)
Na pandemia e em um projeto de necropolítica em curso, o que é um filme?

Cinema contemporâneo (Felipe André Silva, 2019, 5)
Eu era bem novo quando fui estuprado pela primeira vez. Pensava em contar essa história um dia, a história dessa foto. Faltava coragem. Se o filme pudesse falar por mim eu conseguiria.

Fotograma (Caio Zatti e Henrique Leal, 2016, 9)
Uma mulher negra caminha por um bairro de classe média alta no Recife, Brasil. Um muro e duas câmeras de segurança a separam de um condomínio de luxo. “Fotograma” disseca esta imagem cotidiana, buscando pensar suas inscrições históricas. Imagens da cultura e inscrições da barbárie.

Um trabalho forçado a menos na cozinha (Isabel Ávila, 2020, 7)
Tendo como ponto de partida o fenômeno da redomesticação da mulher durante o pós-primeira guerra alemão, esse curta investiga a dinâmica da reprodução da força de trabalho no Brasil dos anos 1980. Através de uma bricolagem de textos e imagens de propagandas de eletrodomésticos e artigos femininos encontradas na revista vogue brasil, transparecem-se os mecanismos coercitivos de naturalização e sexualização do estereótipo feminino herdados pelo país globalizado.

Plano geral 8 (luiz malta, 2020, 1)
Rostos desaparecem no turbilhão do tempo. Confusão temporária. Distância imposta.

O Cinecubo foi inaugurado em 2017 com o intuito de estimular diálogos e linguagens audiovisuais e arquitetônicas e fomentar olhares sobre a cidade. Conta com curadoria e mediação de Fabiane Carneiro, Guido Otero, João Paulo Campos, Nana Maiolini, Vinicius Toro, Bruno Cucio e demais convidados. Sempre gratuitas e abertas ao público, até o momento já houve mais de 20 sessões, reunindo ao menos 40 convidados e mais de 500 participantes (confira a lista ações já promovidas).