Jean Gillon: artista-designer em exposição no MCB © Alisson Ricardo

Exposição e livro enaltecem vida e obra de Jean Gillon

O lançamento da publicação ‘Jean Gillon: artista-designer’, no próximo 25 de setembro, também marca a abertura do conteúdo complementar à mostra homônima no Museu da Casa Brasileira (MCB), em São Paulo, ambos organizados por Graça Bueno. Não perca!

A apresentação em conjunto dos móveis e objetos em jacarandá do período moderno e das tapeçarias artísticas de temáticas tropicais – facetas mais conhecidas da produção de Jean Gillon (1919 – 2007) – seria suficiente para surpreender o leitor. Nas artes, entretanto, ele produziu desde cedo e até o fim da vida, nos mais diversos suportes, [com] atuação que marcou época na arquitetura de interiores e na cenografia, mesmo antes de chegar ao Brasil”.

O descritivo acima introduz os retratos entrelaçados do artista-designer Jean Gillon, agora reunidos em livro publicado pela Editora Olhares, que terá lançamento oficial no próximo 25 de setembro, na Passado Composto Século XX, em São Paulo. Organizado por Graça Bueno, galerista da Passado e detentora da guarda do acervo de Gillon, o conteúdo do livro terá estreia dupla, pois no mesmo dia será inaugurado ao público o conteúdo complementar – incluindo móveis, tapeçarias, objetos, obras de arte, fotos e documentos dos acervos da família e da galeria -, que se soma à mostra paralela e homônima (junho a dezembro de 2021), também curada por Graça Bueno, no Museu da Casa Brasileira (MCB).

 

Além de texto introdutório e cronologia escritos por Graça, o livro conta com participações de Giancarlo Latorraca, Diretor Técnico do MCB e doutorando no programa de design da FAUUSP, que repassa a vida profissional de Gillon com ênfase em sua produção de móveis para o mercado externo nos anos 1960 e 1970; e de Enock Sacramento, crítico de arte e amigo pessoal de Gillon, analista de suas incursões artísticas em diferentes técnicas, como caricatura, desenho, pintura, escultura, gravura, cenografia, tapeçaria, e mais. O livro também apresenta, entre mais de 400 imagens, o ensaio fotográfico de Ruy Teixeira, que registrou móveis e tapeçarias em coleções particulares, além da icônica poltrona jangada à beira mar.

 

© Ruy Teixeira

 

Apesar de Gillon ser nome sempre lembrado no design nacional de móveis do período moderno, ainda não havia trabalho de fôlego sobre tal contribuição. Portanto, além de reunir o principal de suas criações, o livro traz novas informações sobre o desenvolvimento desse nicho patrimonial brasileiro, desde a relação direta com encomendas de projetos de interiores nos anos 1950, até o ciclo de exportações com valorização de aspectos da identidade brasileira nos anos 1960.

O livro conta com prefácio assinado por Miriam Lerner, diretora do MCB, e foi realizado com recursos do ProAc, Programa de incentivo à cultura do Governo do Estado de São Paulo, com coordenação da Doble Cultura e patrocínio da Sorocaba Refrescos.

 

Breve introdução às contribuições de Jean Gillon

Nascido na Romênia, iniciou nas artes ainda adolescente e deixou o país pela presença nazista na Segunda Guerra Mundial. Estabeleceu em Israel, teve atuação relevante como artista, cenógrafo e arquiteto de interiores de meados dos anos 1940 a meados dos anos 1950, preservando muitos registros dessa época em seu acervo. Como muitos arquitetos e designers imigrantes, foi atraído pelos ecos da pioneira arquitetura moderna brasileira.

Chegado em solo brasileiro, teve carreira de destaque em projetos de interiores, como demonstra sua grande colaboração com a revista Casa e Jardim, com artigos, respostas a dúvidas de leitores e diversos projetos publicados.

Em sua loja Adorno, com filiais em São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte, passou a vender móveis, objetos decorativos e utilitários, bem como obras autorais e de outros artistas. Em paralelo desenvolvia projetos de cenografia e figurinos para peças do Teatro Cacilda Becker, parceria com ápice na peça ‘A Visita da Velha Senhora’, e que lhe conferiu premiação como cenógrafo- revelação pela ABCT.

Marca grande mudança em sua produção a transformação da Adorno em WoodArt, em 1965, e o novo foco nas vendas para o exterior, com participação em inúmeras feiras internacionais e negócios com mais de vinte países. As linhas passam a ser apresentadas com nomes brasileiros. Nesse período, monta também um ateliê para desenvolver tapeçarias bordadas, peças únicas e sobremaneira representantes de sua expressão artística, com dezenas de exposições em galerias, museus e outros espaços.

 

Jean Gillon: artista-designer
Autores
Enock Sacramento, Giancarlo Latorraca, Graça Bueno (organizadora)
Número de páginas 300
Formato 23×30 centímetros
Acabamento capa dura
Preço de capa R$ 169
Publicação Editora Olhares

Lançamento do livro Jean Gillon: artista-designer
Local
Passado Composto Século XX
Endereço Alameda Lorena, 1996 – Jardins
Data 25 de setembro de 2021
Horário
10h às 15h
* Número limitado de convidados, reservas pelo [email protected]

 

Exposição Jean Gillon: artista-designer
Local
Museu da Casa Brasileira
Endereço Avenida Brigadeiro Faria Lima, 2705 – Jardim Paulistano
Visitação
 até 12 de dezembro de 2021
Horário terça a domingo, das 10h às 18h
Ingresso
R$ 15; R$ 7,50 (meia-entrada) | Gratuito às terças-feiras
Mais informações através do link
*
Acessibilidade no local | Bicicletário com 40 vagas | Estacionamento pago no local