Evento remoto pauta desdobramentos do incêndio no Museu Nacional

Exatamente após dois anos do ocorrido, a Coordenadora de Extensão do museu, Valéria Silva, fala sobre impactos e projetos de extensão derivados do acidente de 2018

Amanhã, 2 de setembro, às 14h, o projeto de extensão “Educação Patrimonial – Um Olhar sobre a Arquitetura e o Espaço Urbano”, da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Federal do Rio de Janeiro (FAU UFRJ), entrevista a Coordenadora de Extensão do Museu Nacional (MN), Valéria Silva, para falar acerca do impacto do incêndio, ocorrido em 2 de setembro de 2018, sobre a comunidade do museu e da UFRJ e a respeito de projetos de extensão que nasceram da necessidade de preservar a memória e o trabalho de pesquisa realizado na instituição museográfica.

A coordenadora apresentará os projetos “Museu Nacional Vive” e “Renascer das Cinzas”, enfocando mais especificamente na relação da extensão do MN com escolas públicas na Maré e nas expectativas da comunidade em relação ao patrimônio edificado do Museu Nacional.

Ambas as iniciativas são elaboradas pela UFRJ e Museu Nacional para preservar a memória e resgatar a história da instituição após a destruição de 2018. Em suma, o projeto Museu Nacional Vive foi criado para unir forças e recompor, sobretudo, o acervo do museu, resgatando imagens das obras e das salas de exposição locais, bem como doações de peças ou cópias virtuais – ainda reúne e organiza ações voluntárias e manifestações de apoio. Já o Renascer das Cinzas, visa desenvolver ações com o público que frequenta e mantém relação com o MN, bem como seus profissionais, com o intuito de produzir e divulgar documentos sobre sua história e a memória, dialogando e coletando o testemunho destas pessoas que contribuem com a construção dessa instituição científica de 200 anos no Brasil.

Entrevista com Valéria Silva | Museu Nacional Vive – 2 anos
Data
2 de setembro de 2020
Horário 14h
Local canal oficial FAU UFRJ (YouTube)
Organização Educação Patrimonial – Um Olhar sobre a Arquitetura e o Espaço Urbano

* relembre “A irreparável perda do Museu Nacional”, Carta Aberta redigida pelo Instituto de Arquitetos do Brasil (IAB) em 2018.