A cidade de Manaus, AM | Foto: Werner Zotz/Reprodução Prefeitura Municipal de Manaus

Entidades de arquitetura amazonenses manifestam-se em solidariedade à população do estado

As publicações foram divulgadas na última sexta-feira, 15 de janeiro, com o intuito de reiterar o compromisso com a saúde do povo do Amazonas, assolado pelos efeitos do coronavírus

A repercussão do estado de calamidade pública que se encontra o Amazonas – principalmente sua capital, a cidade de Manaus tem aumentado nas últimas semanas. O governo do estado fala a respeito da pior crise sanitária já enfrentada pelo território amazonense que, até a noite do último sábado (16/01), havia registrado 229.367 casos de contaminação pelo Covid-19 e 6.123 mortes.

O cenário caótico e de comoção nacional foi motivo para o pronunciamento de diversas entidades arquitetônicas do estado que, no mesmo 15 de janeiro, divulgaram notas de solidariedade à população amazonense e destacaram a importância da organização conjunta entre os diversos elementos sociais – órgãos governamentais, setor privado, comunidade, instituições de ensino, instituições, formações de apoio (ONGs), entre outros.

“Nesse cenário de dor e de colapso do sistema de Saúde do Estado, o CAU/BR é sensível ao momento de luto de cada família. Manifestamos, também, nossa solidariedade aos familiares e amigos de arquitetos e urbanistas que tiveram suas trajetórias interrompidas pela Covid-19. A pandemia nos iguala na luta para que em todos os Estados as condições do Sistema Único de Saúde sejam valorizadas de maneira a enfrentar a gravidade do momento, para que aqueles que necessitarem de atendimento hospitalar sejam acolhidos com dignidade”, entoa o CAU/BR.

Confira a seguir na íntegra:

Nota de solidariedade do CAU/BR à população do Amazonas

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) manifesta sua solidariedade à população do estado do Amazonas, principalmente da cidade de Manaus, que enfrenta o aumento do número de internações e mortes em razão da pandemia do novo coronavírus.

Nesse cenário de dor e de colapso do sistema de Saúde do Estado, o CAU/BR é sensível ao momento de luto de cada família. Manifestamos, também, nossa solidariedade aos familiares e amigos de arquitetos e urbanistas que tiveram suas trajetórias interrompidas pela Covid-19.

A pandemia nos iguala na luta para que em todos os Estados as condições do Sistema Único de Saúde sejam valorizadas de maneira a enfrentar a gravidade do momento, para que aqueles que necessitarem de atendimento hospitalar sejam acolhidos com dignidade.

O enfrentamento do aumento do número de casos exige de todos nós a manutenção das medidas de prevenção. Reiteramos o nosso compromisso com a saúde da população, bem como com a melhoria das condições da habitabilidade das moradias e da qualidade urbanística dos espaços públicos, essência do nosso ofício.

A falta de infraestrutura sanitária e logística de transporte para o devido atendimento em saúde à população do Estado do Amazonas, face o tempo de pandemia que já perdura no território brasileiro, evidencia a crônica ausência de planejamento pelos setores competentes, onerando os esforços dos trabalhadores em saúde e vitimando diariamente as famílias brasileiras.

Nosso reconhecimento ao trabalho heroico dos profissionais de saúde que, enfrentando adversidades, mantêm o compromisso de salvar vidas.

Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil

Brasília, 15 de janeiro de 2021

 

 

Arquitetos e Urbanistas se solidarizam e defendem a saúde pública

As cidades são o locus do convívio no espaço público e do exercício da política, com seus bairros, ruas, praças, parques, avenidas, locais da vida em comunidade. No entanto, em momentos como este da pandemia do coronavírus, em que a vida é posta à prova por uma ameaça maior, o senso de coletividade precisa sobressair. Frente ao colapso no sistema de saúde vivido neste janeiro de 2021 no Amazonas, as entidades representativas de Arquitetura e Urbanismo dirigem-se à população brasileira e, em especial, aos órgãos governamentais responsáveis pelo sistema de saúde, conclamando o que segue:

– Se a circulação é uma ameaça à vida, é urgente assegurar o máximo isolamento social possível. Para tanto, é essencial disponibilizar as condições para a ampliação do período de lockdown nas ruas de Manaus (AM), com determinação oficial do governo e apoio da população para a efetividade da medida. É primordial a fiscalização e o controle sobre aglomerações e eventos não autorizados, mantendo apenas as atividades essenciais em funcionamento.

– Defendemos a suspensão integral de qualquer procedimento de reintegração de posse ou despejo que resulte em exposição de cidadãos e/ou comunidades em situação de fragilidade social ou econômica.

– Como medida de prevenção, sugerimos a instalação de unidades emergenciais de higienização e controle de saúde nas áreas mais vulneráveis e zonas ribeirinhas, oferecendo diagnóstico e tratamento precoce da Covid-19. Em havendo a necessidade de sair à rua, é essencial que se exija o uso de máscaras e de álcool gel, disponível em todo e qualquer ambiente coletivo.

– É fundamental que toda estrutura pública de saúde seja preparada para o atendimento integral aos pacientes que necessitem de internação para tratamento da Covid-19. Não é admissível a falta de insumos como oxigênio e medicação destinada aos procedimentos de UTI, o que deve ser tratado com prioridade máxima na situação de pandemia. Por isso, defendemos a extinção de medidas como o teto dos gastos para saúde pública e a privatização da saúde.

– Por fim, conclamamos todos os esforços necessários para que seja iniciada imediatamente a vacinação ampla contra a Covid-19, em campanha pública nacional para toda população brasileira. Apenas a vacinação em massa poderá deter a circulação epidêmica do coronavírus e cessar as mortes, que já ultrapassam a marca de 208 mil vidas perdidas.

Manaus, 15 de janeiro de 2021

Sindicato dos Arquitetos e Urbanistas do Amazonas – SINDARQ/AM
Federação Nacional dos Arquitetos e Urbanistas – FNA
Instituto de Arquitetos do Brasil –DN
Instituto de Arquitetos do Brasil – AM
Instituto de Arquitetos do Brasil – RR
Instituto de Arquitetos do Brasil – RS
CAU-AM
AsBEA/AM
Curso de Arquitetura e Urbanismo da UFAM
Curso de Arquitetura e Urbanismo da Universidade NILTON LINS
Curso de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade SANTA TEREZA
Curso de Arquitetura e Urbanismo da Faculdade FAMETRO