Edifícios com tecnologias verdes poderão ser obrigatórios em SP

Um projeto de lei em tramitação na Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo prevê a obrigatoriedade de instalação de dispositivos para a captação de energia e de água da chuva em novas construções

O projeto de lei 662/2015 quer tornar obrigatória a aplicação de tecnologias verdes na construção de novos prédios, centros comerciais e condomínios residenciais do estado de São Paulo. 

Siga-nos no Facebook

Segundo dados do Green Building Council Brasil (GBC Brasil), prédios sustentáveis podem economizar até 30% de energia e 40% de água.

Especialistas acreditam que o uso consistente de materiais de isolamento de alto desempenho e outras medidas passivas, com uso da luz e ventilação natural, poderia reduzir quase pela metade o crescimento futuro do consumo de energia dos edifícios.

Um exemplo de empreendimento que utiliza dispositivos de captação de energia e água é o EcoCommercial Building (ECB), que tornou-se o primeiro prédio do Brasil a gerar energia solar para cobrir 100% de sua necessidade anual. O edifício também conta com mais de 20 tecnologias para construções sustentáveis.

O diretor do programa EcoCommercial Building no Brasil, Fernando Resende, comenta que os resultados foram verificados na prática com um ano de medição, e que anualmente, já considerando os custos de amortização dos sistemas instalados, o prédio gerará uma economia de 50% dos custos com energia. “Vale destacar que o valor investido foi equivalente ao de uma obra tradicional de mesma proporção”, afirma.

O prédio conta ainda com a certificação LEED-NC Platinum do U.S. Green Building Council, que reconhece as melhores estratégias e práticas sustentáveis. Trata-se do sexto edifício deste tipo construído no mundo.

Além disso, o ECB Brasil é o sexto projeto da empresa MaterialScience no mundo e o primeiro da América Latina. O edifício emprega coberturas e fachadas feitas com chapas de policarbonato Makrolon® de alto desempenho, que permite que a luz natural seja aproveitada, retendo até 50% do calor, com baixo peso, o que reduz custos com estruturas.

Painéis com núcleo de poliuretano (PU) garantem o isolamento térmico do edifício, reduzindo em até 90% o calor transmitido por coberturas e paredes. A tecnologia também diminui significativamente a espessura de isolamento e possibilita grande velocidade de execução, ao substituir as convencionais paredes de alvenaria.