CAU/SP: Chapa 1 CAU+Plural ganha recurso e vence eleições

O Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil divulgou nesta segunda-feira (30/11) o resultado do julgamento das denúncias ocorridas pós eleições de 2020. O veredito acata recurso da Chapa 1 (CAU+Plural) paulista, que assume a governança no próximo triênio

Formação da Chapa 1 de São Paulo, CAU+Plural (Imagem: divulgação)

 

Nesta segunda-feira (30/11), foi divulgado o resultado do julgamento de recurso de denúncias das eleições 2020 de conselheiros titulares e respectivos suplentes do Conselho de Arquitetura e Urbanismo do Brasil (CAU/BR) e dos Conselhos de Arquitetura e Urbanismo dos Estados e do Distrito Federal (CAU/UF). Dentre os vereditos, o CAU/BR deu provimento ao recurso registrado contra a denúncia 69, feita em desfavor à Chapa 1 de São Paulo (CAU+PLURAL), reconhecida pela composição integral feminina. A partir de agora, a tal chapa é vencedora do processo e estará à frente da gestão do CAU/SP no próximo triênio (2021-2023).

Após vitória nas eleições do último 15 de outubro, a CAU+Plural apresentou admissão de denúncia pelo CAU/SP por suposta violação do Artigo 22 do Regulamento Eleitoral para as Eleições de 2020, inscrito na página 15, que diz: “As propostas veiculadas em material de propaganda devem estar alinhadas às competências, às funções e às legislações vigentes correlatas ao conselho e não podem possuir conteúdo ilegal ou depreciativo, sob pena de sanções eleitorais e ético-disciplinares”. Entretanto, desde o início do processo, a Chapa 1 paulista afirma que a denúncia foi infundada e que possuia recursos na Comissão Eleitoral do CAU/BR, ou seja, em nível nacional. Em nota de esclarecimento da Chapa, publicada em 22 de outubro, o grupo já dizia: “A decisão não traz qualquer consequência para a chapa e em breve conseguiremos invalidá-la. Isso não passará de uma lembrança ruim!”, diz a nota de esclarecimento da chapa.

Sabe-se que a CAU+Plural conseguiu, de maneira inédita, obter o maior número de vagas no Conselho, elegendo 49 cadeiras no plenário. Do total de 77 cadeiras, 52 serão ocupadas exclusivamente por mulheres, o que corresponde à 77% do próximo mandato representado pela parcela feminina – inverso aos números anteriores, com 76% do conselho estadual representados por homens.

A partir do grupo de 156 mulheres que compõem a chapa, buscou-se integrar negras, pardas e indígenas, diferentes idades – dos 20 aos 70 anos -, orientações sexuais, composições familiares, e atuações em diversas áreas da profissão e de todas as regiões do estado.

A ideia de fazer uma chapa só feminina foi uma estratégia política: conhecendo o processo eleitoral do CAU, se elegermos chapas mistas ou majoritariamente masculinas, nunca vamos ter um espelho daquilo que a nossa profissão hoje, com mais de 60% de profissionais mulheres”, explicou à Casa Vogue Catherine Otondo, eleita representante estadual do CAU/SP pela Chapa 1 paulista.

Em apoio à CAU+Plural, também se manifestaram as Chapas 3, Conecta_CAU, e 5, CAU + 10, de São Paulo: “Elas, as mulheres da Chapa 1, a partir de uma organização ousada, limpa, propositiva e engajada, venceram as eleições! Entre 29.132 arquitetos e arquitetas de SP que votaram nas chapas, 11.568 escolheram essa grande composição de mulheres fortes, sérias e competentes e que assim como nós da Chapa 03 e Chapa 05, disseram basta! A Chapa 01 teve uma votação expressiva. 39,71% dos votos válidos. Isso é muito e deve ser respeitado. Em um momento do país em que as instâncias democráticas sofrem ameaças e outros órgãos de classe não conseguem organizar eleições sem que a justiça interfira, nós da Chapa 3 e Chapa 5 declaramos que aceitamos, reconhecemos e legitimamos a vitória da Chapa 1”.

Saiba mais pela Revista PROJETO

Confira o resultado das eleições CAU/2020

Eleições CAU/2020: mulheres avançam em representatividade na próxima gestão