CAU Brasil celebra Dia Nacional da Mulher Arquiteta e Urbanista

Pela primeira vez, o sistema CAU Brasil enaltece formalmente o Dia Nacional da Mulher Arquiteta e Urbanista neste sábado, 31 de julho. A data, definida em agosto de 2020, homenageia o contingente majoritário na profissão

 

As mulheres são 64,34% dos 196.825 profissionais registrados no CAU. Apesar disso, nem sempre encontram as mesmas condições de acesso, exercício, permanência e ascensão no campo da arquitetura.

A escolha de 31 de julho como Dia Nacional da Mulher Arquiteta e Urbanista sucedeu à apresentação, pela Comissão Temporária de Equidade de Gênero (CTEG), do 1º Diagnóstico de “Gênero na Arquitetura e Urbanismo”.  Com a inclusão no calendário oficial, o CAU Brasil procura fomentar o debate sobre as assimetrias entre mulheres e homens na arquitetura e também na sociedade.

A pretexto da data, o tema ganhará repercussão por meio de uma campanha de posts nas redes sociais e conteúdos especiais produzidos pelas equipes de comunicação do CAU Brasil e dos CAU/UF. A data também será lembrada durante a 114ª Plenária Ordinária do CAU Brasil hoje, 30 de julho, quando se discutirá a criação da Comissão Temporária de Raça, Equidade e Diversidade (CTRED), para dar continuidade e ampliar as ações do CAU Brasil de apoio à diversidade.

A agenda pela promoção da equidade vem sendo adotada pelo CAU Brasil em atenção às recomendações do documento ‘Policy Gender Equity in Architecture – Políticas para a Equidade de Gênero na Arquitetura’, da União Internacional dos Arquitetos (UIA). O debate também está alinhado com o 5º Objetivo de Desenvolvimento Sustentável da ONU, dedicado a “alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas”.

Desde 2018, com a criação da Comissão Temporária de Política para a Equidade de Gênero, as conselheiras e conselheiros empreendem ações para o avanço desta pauta, um esforço que se desdobrou em uma série de debates, dois Ciclos ‘Mulheres na Arquitetura’ e no ‘1º Diagnóstico Gênero na Arquitetura e Urbanismo’. A partir destes acúmulos, foi possível construir a ‘Política de Gênero no CAU’.

O tema ganha destaque com o crescimento do contingente feminino na categoria. As mulheres chegam a representar 76% do universo de profissionais ativos na faixa de até 29 anos.

 

O que defendemos é um tratamento justo entre homens e mulheres no trabalho e nas cidades, diante da responsabilidade que nos cabe na perspectiva de um futuro feminino da Arquitetura brasileira”, afirma a presidente do CAU Brasil, Nadia Somekh.