Centro Cultural e Esportivo Saint-Blaise, Paris (França), por Bruther | 2010 - 2014 (Foto: Filip Dujardin / divulgação)

Brasileiros marcam presença no Swiss Architectural Award. Confira resultado!

Entregue à dupla francesa do estúdio Bruther, vencedora desta edição, o prêmio foi também amplamente apreciado pela participação de arquitetos brasileiros tanto no conselho consultivo quanto na disputa do certame

Na última semana de novembro, o estúdio Bruther, fundado pelos franceses Stéphanie Bru e Alexandre Theriot, foi anunciado como vencedor da sétima edição do Swiss Architectural Award, um prêmio bienal e internacional de arquitetura que, desde 2019, é promovido pela Fondazione Teatro dell’architettura. Sabe-se que o Prêmio visa fomentar um tipo de arquitetura que seja sensível às questões éticas, estéticas e ecológicas contemporâneas e possa facilitar o debate público, sendo atribuído a arquitetos com idade máxima de 50 anos, sem distinção de nacionalidade, e que tenham concluído pelo menos três obras significativas ao longo de suas carreiras.

Bruther foi selecionado dentre os 33 candidatos provenientes de 19 países na edição com maior número de participantes desde a criação do prêmio, em 2007. O fato, além de aumentar a concorrência, também confirma a expressividade do certame, sempre acompanhado por uma comissão consultiva composta por arquitetos e críticos de renome internacional e, especialmente em 2020, com a participação organizacional de três escolas suíças: Università della Svizzera italiana – Academia de Arquitetura; EPF Lausanne (ENAC); e Section d’Architecture, ETH Zurich – Departement Architektur.

Neste ano a formação do júri, presidida por Mario Botta, congregou Riccardo Blumer (Diretor da Accademia di Architettura, USI); João Luís Carrilho da Graça (Lisboa); Dieter Dietz (Diretor da Secção de Arquitectura da EPFL-ENAC); e Christophe Girot (Reitor do Departement Architektur, ETHZ), que atuaram de maneira colaborativa ao lado da Comissão de Conselheiros internacionais – na qual se destaca a representação brasileira por Angelo Bucci, componente do grupo formado pelos renomados Manuel Aires Mateus, Lisboa (Portugal); Solano Benitez , Assunção (Paraguai); Marianne Burkhalter , Zurique (Suíça); Sean Godsell , Melbourne (Austrália); Steven Holl , Nova York (EUA); Junya Ishigami , Tóquio (Japão); Bijoy Jain , Mumbai (Índia); Shelley McNamara, Dublin (Irlanda); Valerio Olgiati, Flims (Suíça); Adolph Stiller , Viena (Áustria); Elisa Valero , Granada (Espanha); Paolo Zermani, Parma (Itália).

Quanto aos candidatos indicados à disputa de 2020, percebe-se expressividade nacional ao se fazer notória a presença de quatro grandes escritórios brasileiros na lista de concorrentes internacionais renomados – ou seja, tiveram cacife para integrar a disputa nada menos do que Carla Juaçaba; MAPA (Luciano Rocha de Andrades, Matías Carballal Zeballos, Andrés Gobba Hannay, Maurício Lopez Franco, Silvio Lagranha Machado); SIAA_ (fundado e dirigido por Cesar Shundi Iwamizu); e Terra + Tuma (Danilo Terra, Fernanda Sakano, Pedro Tuma, Juliana Terra).

Junto deles estavam: Al Borde (Pascual Gangotena, David Barragán, Marialuisa Borja, Esteban Benavides; Equador); Arrhov Frick (Johan Arrhov, Henrik Frick, Suécia); Bernardo Bader (Áustria); Barbas Lopes Arquitectos (Patricia Barbas, Diogo Lopes, Portugal); Tatiana Bilbao (México); Bruther (Stéphanie Bru, Alexandre Theriot, França); Riccardo Butini (Itália); Carmody Groarke (Kevin Carmody, Andy Groarke, Inglaterra); Ricardo Carvalho (Portugal); Kashef Mahboob Chowdhury (Bangladesh); Arquitetura DECA(Alexandros Vaitsos, Carlos Loperena, Grécia); Angela Deuber (Suíça); Edition Office (Kim Bridgland, Aaron Roberts, Austrália); Estudio MMX (Jorge Arvizu, Ignacio del Rio Emmanuel Ramirez, Diego Ricalde, México), Nick Gelpi (EUA); Guidotti Architetti (Giacomo Guidotti, Riccarda Guidotti, Suíça); langarita-navarro arquitectos (Maria Langarita, Victor Navarro, Espanha); Shingo Masuda e Katsuhisa Otsubo (Japão);Daniel Moreno Flores (Equador); Erika Nakagawa (Japão); OFFICE (Kersten Geers, David Van Severen, Bélgica); Camilo Rebelo (Portugal); Arquitetura Robusta Workshop (Milinda Pathiraja, Ganga Ratnayake, Sri Lanka); Arquitetos Sabin Blanco (Patricia Sabín Díaz, Enrique M. Blanco Lorenzo, Espanha); Taylor and Hinds Architects (Poppy Taylor, Mat Hinds, Austrália); Ted’A Arquitectes (Irene Perez Piferrer, Jaume Mayol Amengual, Espanha); Francesca Torzo (Itália);Christian Wassmann (EUA); Xu Tiantian (DnA Design and Architecture, China).

Saiba mais

Swiss Architectural Award