Arquitetura é ferramenta para criação de um Vale do Silício na África

Capital do Quênia, no leste da África, a cidade de Nairóbi tem um prefeito cuja ambição é transformar a região em uma espécie de “Vale do Silício” africano, em referência à região do estado norte-americano da Califórnia que concentra alguns dos principais centros de pesquisa e empresas do planeta dedicados à tecnologia.

Assim chamada Konza Techno City, a região deve ocupar uma imensa área desocupada da cidade. cujo projeto está sendo desenvolvido pelos arquitetos do estúdio ShoP, sediado em Nova York, vencedores de concurso internacional dedicado ao assunto.

Com mais de dois mil hectares, o espaço abrigará universidades, áreas residenciais e edifícios de escritórios que já atraem o interesse de empresas como Google, IBM, Boeing e FedEx. Essas e outras empresas norte-americanas manifestaram interesse em manter ali suas sedes no continente africano.

Com previsão de execução de mais de 20 anos, a Konza Techno City, porém, ainda não tem o projeto concluído. Por enquanto, os norte-americanos do SHoP elaboraram apenas o projeto dos edifícios institucionais que darão início ao empreendimento: um auditório e um pavilhão elevado.

LEIA MAIS
Termina a construção do primeiro projeto de Norman Foster na África
Complexo residencial renova paisagem do “Vale do Silício russo”
Phumelela e BUE: Estádio Soccer City – Johannesburgo – África do Sul