5º ARCHcine tematiza arquitetura na arte cinematográfica

Em andamento até o dia 11 de dezembro, a quinta edição do festival de cinema tem programação extensa e congrega filmes que roteirizam brilhantemente a arquitetura por outros olhares

Está no ar o “5º ARCHcine – Festival de Cinema de Arquitetura” que acontece até o próximo 11 de dezembro, de forma on-line e gratuita para todo o Brasil. Mediante inscrições realizadas pela plataforma Looke, o interessado pode conferir a ampla programação composta por mais de 50 filmes, nesta temporada que supera a infinidade de desafios impostos pela atual pandemia, que, na verdade, expõe de antemão a capacidade da produção audiovisual em se adaptar e (re)inventar.

Dentre as sessões programadas, estão mantidas as tradicionais Mostras Competitivas, onde serão oferecidos prêmios aos melhores curta e longa metragens na escolha do Júri Popular. Os curtas brasileiros concorrem ainda ao Prêmio Arquiteturas – oferecido pelo Arquiteturas Film Festival Lisboa, que garante a exibição do vencedor na próxima edição do festival português -, além do prêmio em serviços de distribuição audiovisual pela Tarrafa Produtora, empresa parceira do ARCHcine 2020.

Nesta edição, os filmes da Mostra Competitiva estão destacados em sessões temáticas, que aprofundam os mais diversos atravessamentos da arquitetura e do urbanismo, sempre buscando uma ampla reflexão sobre o ambiente urbano. Desta maneira, os filmes da mostra competitiva estão distribuídos nas sessões: Eco do Invisível (Sustentabilidade); Territórios Sensíveis (Direito à cidade); Patrimônio Revelado (Patrimônio Material e Imaterial); Limites do Desenho (Ofícios do urbanismo); Cidades de Mulheres (Destaques femininos); Novas Espacialidades (Experimentações).

Além das diversas sessões competitivas, o 5º ARCHcine 2020 conta com mostras-homenagem, debates e sessões de abertura e encerramento. No encerramento, em 11 de dezembro, abre-se espaço para o curta “Conte Isso Àqueles que Dizem que Fomos Derrotados”, fruto de um mergulho criativo sobre os arquivos de três invasões em Belo Horizonte, realizadas pelo Movimento de Luta nos Bairros, Vilas e Favelas. A Sessão será concluída pelo longa “Favela é Moda”, de Emílio Domingos, onde o destaque são jovens modelos de uma agência localizada na favela do Jacarezinho, Zona Norte do Rio de Janeiro. A narrativa reafirma ainda direitos e diversidade, enquanto contesta os padrões estéticos no Brasil.

O diretor do longa-metragem de encerramento do ARCHcine 2020, Emílio Domingos, é o principal homenageado nesta edição do festival, completando 20 anos de carreira neste ano e se destacando pela cinematografia singular na reflexão e expressão de territórios urbanos. Neste período, o cineasta acumula a direção de quatro longas e dez curtas-metragens. No 5º ARCHcine, o público poderá conferir todos os seus longas – são eles: “Favela É Moda” (2019),”Deixa na Régua” (2016), “A Batalha do Passinho” (2013), e “L.A.P.A.” (2008).

Além de homenagear Emílio Domingos, a edição homenageia Rio de Janeiro e Brasília. Enquanto a Mostra Rio Capital Mundial da Arquitetura promove o título concedido à cidade do Rio de Janeiro pela UNESCO em parceria com a União Internacional de Arquitetos (UIA), a Mostra Brasília 60 Anos celebra o aniversário da capital federal. No total, 14 filmes participam nas duas Mostras, entre curtas e longas metragens.

Todos os filmes ficarão disponíveis por 24 horas, exceto aqueles que compõem a Mostra Homenagem Emílio Domingos – escalados para a próxima segunda-feira (7) e no ar até o fim do festival. Programe-se, confira os cartazes e aproveite a fusão entre as esferas arquitetônica e cinematográfica.

 

Programação


4/12, Sexta-feira, 12h
(Disponível até 5/12, sábado, 12h)

 

MOSTRA RIO CAPITAL MUNDIAL DA ARQUITETURA 02

Kopacabana”, dir. experimental, Marcos Bonisson e Khalil Charif, Brasil, 2019,Exp, 13 min.
Filme experimental elaborado através de uma colagem de imagens atuais e de arquivo (em Super 8 e digital), ambientado em Copacabana como epicentro de experiências interculturais, sociais e sensoriais. Narrado pela fala significante do poeta Fausto Fawcett, e sonorizado pelo músico Arnaldo Brandão.

Neurovia Trem System”, dir. Luiz Henrique A L Passos, Brasil, 2019, Experimental, 9 min.
No Rio de Janeiro, o sistema ferroviário serve como uma das armas do governo para marginalizar populações periféricas. O filme procura investigar o trem e como ele se relaciona com os indivíduos e a cidade.

HU”, dir Pedro Urano e Joana Traub Cseko, Brasil, 2011, Doc, 78 min.
Um edifício partido ao meio: de um lado, o hospital; do outro, a ruína. E no horizonte, a Baía de Guanabara, o Rio de Janeiro, a saúde e educação públicas.

 

MOSTRA BRASÍLIA 60 ANOS 02

Riscados pela Memória”, dir. Alex Vidigal, Brasil, 2018, Fic, 60 min.
Um dono de um sebo de discos, em meio a uma compra de LP’s de segunda mão, se depara com algo que vai muito além de uma aquisição trivial.

Afronte”, dir. Bruno Victor e Marcus Azevedo, Brasil, 2017, Fic e Doc, 60 min.
Ficção e documentário se cruzam para mostrar o processo de transformação e empoderamento de Victor Hugo, um jovem negro e gay, morador da periferia do Distrito Federal. Seu relato se mistura aos depoimentos de outros jovens, cujas histórias revelam diferentes formas de resistência, encontradas em discursos de valorização do negro gay.

Luis Humberto: O Olhar Possível”, dir. Mariana Costa e Rafael Lobo, Brasil, 2019, Doc, 60 min.
Um olhar poético e íntimo sobre a vida e o trabalho do fotógrafo Luis Humberto.

Zé (s)”, dir. Piu Gomes, Brasil, 2010, Doc, 60 min.
Uma coincidência cósmico-semântica. Zé, Teatro, Oficina. Zé Celso Martinez Corrêa, diretor do Teat(r)o Oficina Uzyna Uzona,de São Paulo. Zé Perdiz, mecânico de Brasília cuja oficina se transforma em teatro. Vidas paralelas. Encontro cinematográfico.

Cine Drive-in Cinema Sob o Céu”, dir. Cláudio Moraes, Brasil, 2014, Doc, 60 min.
Quando personagens fictícios viram personagens reais… É assim com o Cine Drive-in de Brasília. Uma queria ser atriz, hoje faz as artistas brilharem. A outra só precisava de um meio para se  sustentar, hoje sustenta a arte a céu aberto. Com seus altos e baixos, seus momentos de glória, de depressão e de recuperação, o Cine Drive-in de Brasília é o único da categoria no Brasil.

Brasília”, dir. Cao Guimarães, Brasil, 2011, Doc, 60 min.
Cao Guimarães “Uma cidade desenhada e projetada só se torna uma cidade quando seus diversos elementos ganham autonomia; quando eles aprendem a falar por si, inventando uma gramática com suas próprias regras gramaticais.Uma cidade torna-se uma cidade quando uma folha cai de uma árvore e reconhece o terreno em que ela pousou ou quando a cidade adormecida suspira quietamente a dor e o prazer da existência”

Debate ao vivo: Estéticas urbanas, 20h
Convidados
Leo Bittencourt, Ed du Corte e Deivão
Transmissão canal ARCHcine no YouTube

 

 


5/12, sábado, 12h
(Disponível até 6/12, domingo, 12h)

 

PATRIMÔNIO REVELADO 01 – COMPETITIVA

Rio Submerso”, Beatriz Leonardo, Ivan Ignacio, Lucas Bártolo, Luís Fellipe, Brasil, 2019 Exp, 6 min.
Entre ressacas e inundações, o filme propõe uma reflexão sobre a relação do Rio de Janeiro com as forças da água a partir de imagens de arquivo e paisagens sonoras que evoquem aspectos conflituosos, porém constitutivos de uma cidade que, formada por processos de aterramento, parece ter como destino a submersão.

Uma mulher e uma cidade”, dir. André Farkatt, Camerino Neto e Tactiana Braga, Brasil /França, 2019, Doc, 14 min.
Autora de monumentais obras em arte vitral que fazem parte do imaginário da Capital do Brasil e é o mais importante legado de vitral em uma única cidade da América Latina, Marianne Peretti conta como criou as suas obras em Brasília e nos permite revisitar o conjunto arquitetônico modernista da cidade pelo olhar da única mulher a participar da equipe de artistas que colaboraram com Oscar Niemeyer na construção dos monumentos da cidade. O filme revela as relações entre arte integrada à arquitetura na obra de Marianne Peretti e Oscar Niemeyer.

No Caminho das Pedras”, Marco Antonio Pereira, Brasil, 2019, Doc, 34 min.
No Caminho das Pedras percorre a história das famosas calçadas de pedras portuguesas, desde o seu surgimento em Lisboa, na metade do Século XIX, até chegarem ao Rio de Janeiro e se eternizarem no icônico calçadão de Copacabana, criado por Burle Marx. O filme revela a arte dos calceteiros em Lisboa, onde tem uma escola especializada neste ofício; aborda questões urbanísticas através de entrevistas com diversos arquitetos e imagens de arquivo; a influência e presença dos mosaicos de pedras portuguesas nas artes plásticas, na fotografia, na moda e na literatura; e sua onipresença sob os pés cariocas e portugueses em locais históricos e conhecidos do público.

 

LIMITES DO DESENHO 02 – COMPETITIVA

Terras”, dir. Federico Cairoli, Brasil, 2019, Doc, 61 min.
Duas coincidências: uma geográfica, a região de Cunha no vale do Paraíba; outra material, a utilização da terra como matéria-prima – em tijolo de barro queimado, pau-a-pique e taipa-de-pilão – motivam a colocar em evidência processos construtivos vernaculares ainda vivos, envolvidos no processo construtivo dos três projetos aqui apresentados. No exercício de re-imaginar a arquitetura pelo viés do processo cotidiano de transformação da matéria primordial que dará forma ao projeto, a equipe propõe revelar as obras pelo dia-a-dia do trabalho de dois oleiros da região: o Zé Taubinha e o Burrico; Com esse olhar busca-se uma reflexão sobre os possíveis entrelaçamentos de corpos interdependentes no processo construtivo, seus tempos e sua atemporalidade.

Konder – O Protagonismo da Simplicidade”, dir. Igor de Vetyemy e Gabriel Mellin, Brasil, 2019, Doc, 60 min.
O documentário apresenta a vida e obra de Marcos Konder Netto, um dos maiores arquitetos do Movimento Moderno Brasileiro. Além de engajamento social, artístico e arquitetônico, Konder contribuiu não apenas com teorias, técnicas e dedicação política, mas também com o maior marco de sua personalidade: a generosidade e a simplicidade.

Debate ao vivo: A potência da dança, 17h
Convidados
Daniel Neves e Cebolinha
Transmissão canal ARCHcine no YouTube

 


6/12, Domingo, 12h
(Disponível até 7/12, segunda-feira, 12h)

 

TERRITORIOS SENSIVEIS 02 – COMPETITIVA

Perifericu”, dir.Nay Mendl, Rosa Caldeira, Stheffany Fernanda e Vita Pereira, Brasil, 2019, Ficção, 20 min.
Luz e Denise cresceram em meio às adversidades de ser LGBT no extremo sul da cidade de São Paulo. Entre o vogue e as poesias, do louvor ao acesso à cidade. Os sonhos e incertezas da juventude inundam suas existências.

Banco Imobiliário”, dir. Miguel Antunes Ramos, Brasil, 2016, Doc, 60 min.
Brian caminha por seu bairro de infância, procurando novas áreas para uma incorporação imobiliária. Romeo, em seu escritório envidraçado, desenha uma estratégia de marketing. Carla planeja seus novos investimentos vendo a cidade do alto. Um jogo de tabuleiro. Uma imagem de futuro. Um projeto de cidade.

 

CIDADE DE MULHERES 02

Tear”, dir.Mariela Salgado, Brasil, 2019, Doc, 16min.
Tear é um documentário que explora a interseção entre a arte, a arquitetura e a videodança. Propõe uma reflexão sobre um monumento de arquitetura moderna projetado por Francisco Bolonha, cujo painel “As Fiandeiras”, idealizado por Cândido Portinari, revela a história de mulheres, que através de sua luta diária, se tornam símbolo do desenvolvimento socioeconômico da cidade de Cataguases, Minas Gerais.

Tão Longe é Aqui”, dir. Eliza Capai, Brasil, 2013, Doc, 76 min.
A partir de memórias guardadas de uma longa viagem, uma carta é enviada ao futuro. Sozinha, longe de casa e às vésperas de completar 30 anos, uma brasileira parte em uma jornada pelo continente africano. Na carta para sua filha, ela conta dos encontros com mulheres que vivem em suas culturas e tempos. Um diário, um roadmovie e um convite a todas as pessoas que lideram seus próprios caminhos.

 

 


7/12, Segunda-feira, 12h
(Disponível até 11/12, sexta-feira, 12h)

 

HOMENAGEM EMILIO DOMINGOS

L.A.P.A”, dir. Emílio Domingos, Brasil, 2007, Doc, 75 min.
A Lapa, bairro boêmio do Rio de Janeiro e tradicional reduto de sambistas, hoje também é ponto de encontro de MCs e do rap. Mergulhe no universo do hip hop carioca e no cotidiano de quem busca viver de música no Brasil.

Batalha do Passinho”, dir. Emílio Domingos, Brasil, 2012, Doc, 72 min.
O filme mostra como a cultura funkeira expandiu-se via internet, ganhando terreno e levando o clima dos bailes para além das comunidades. O fenômeno do Passinho do Menor virou hit e deu início a uma série de respostas.

Deixa na Régua”, dir. Emílio Domingos, Brasil, 2016, Doc, 73 min.
Um corte de cabelo estiloso pode representar muita coisa. A rotina movimentada das barbearias da Zona Norte do RJ é retratada com leveza a partir de depoimentos dos jovens que as frequentam.

 

7/12, Segunda-feira, 12h
(Disponível até 8/12, terça-feira, 12h) 

 

CIDADES DE MULHERES 01 – COMPETITIVA

Cabeça de Rua”, dir. Angélica Lourenço, Brasil, 2019, Ficção, 14 min.
Célia recebe uma proposta para um trabalho fichado em uma loja após trabalhar durante muitos anos como lavadora de carros. Em seu último dia na rua, ela precisa passar seu ponto de trabalho para sua prima, ao mesmo tempo que precisa lidar com sua insegurança em relação ao novo desafio profissional.

Tudo que Temos”, dir. Alexis Clements, EUA,2019, Doc, 67 min.
Desde 2010, mais de 100 bares, livrarias e espaços comunitários onde mulheres LGBTQ se reúnem fecharam desde o Brooklyn, passando por Oklahoma City e San Antonio. Este filme explora o que está acontecendo e por que alguns espaços conseguiram permanecer abertos apesar das adversidades.

 

LIMITES DO DESENHO 01

O Levante dos Andes”, dir. Bernardo Villagra Meruvia, Alemanha, 2019, Doc, 61 min.
El Alto, na Bolívia, está crescendo rapidamente – sem controle, mas não sem forma. Investigando a estética urbana, encontramos os Cholets: palácios em miniatura que servem como instalações residenciais e comerciais para ricas famílias indígenas Aymara. As construções coloridas e brilhantes se assemelham a naves espaciais perdidas nos terrenos baldios urbanos. O duplo movimento entre os comentários dos especialistas e a sinfonia da cidade revela as bases sociais dessa arquitetura eclética.

Filme Paisagem, Um Olhar Sobre Roberto Burle Marx”, dir.  João Vargas Penna, Brasil, 2018, Doc, 60 min.
“O filme é um passeio pela arte e personalidade do paisagista e pintor Roberto Burle Marx, que apresenta suas ideias e lembranças numa sucessão de paisagens sensoriais.”

 

 


8/12, Terça-feira, 12h
(Disponível até 9/12, quarta-feira, 12h)

 

PATRIMÔNIO REVELADO 02

Cemitério Parque”, dir.José Carlos de Faria e Souza, Brasil, 2018, Doc, 16 min.
Em 1965 o governador Lacerda em solenidade no Parque Lage decreta seu tombamento. O presidente das Organizações GLOBO, Roberto Marinho, um dos proprietários do terreno, é contrariado no seu interesse de transformá-lo em um cemitério. O realizador do filme assiste ao evento e narra o reflexo no seu dia a dia dos acontecimentos políticos das décadas 1950-70.

Cadê o Bonde Que Passava Aqui”, dir. Gabriel Tye, Brasil, 2019, Doc, 25 min.
Um trilho de bonde é encontrado nas escavações arqueológicas da construção do metrô Faria Lima, no Largo da Batata, principal região da zona oeste de São Paulo. Tomando de empréstimo os conceitos simbólicos da arqueologia, o documentário vai em busca dos “horizontes” história, memória e agora, que retratam narrativas dos moradores, comerciantes e frequentadores do bairro. Como em uma escavação, o curta investiga a história de Pinheiros desde o aldeamento indígena até as ocupações dos dias de hoje, percorrendo camadas de tempo para compreender os processos urbanos e imaginar futuros para a cidade.

Iracema Plaza Hotel”, dir. Reinaldo Jorge Menezes e Silva, Brasil, 2019-2020, Doc, 24 min.
O documentário passeia pela existência do primeiro hotel da orla de Fortaleza, apresentando entrevistados que, por diferentes razões, têm uma forte ligação com o antigo edifício. Distante do seu esplendor e com a estrutura totalmente comprometida, o hotel que testemunhou mais de meio século de transformações na Praia de Iracema, ainda abriga um último hóspede.

Farol Invisível”, dir. Bruna Calegari, Brasil, 2017, Doc,16 min.
Erguido em plena metrópole de São Paulo, um farol marítimo guarda mistérios e habita o imaginário dos moradores da cidade.

 

CIDADES DE MULHERES 03 – COMPETITIVA

Construção”, dir. Leonardo da Rosa, Brasil, 2020, Doc, 16min.
Após ser despejada de sua casa, Andréia volta anos depois para a comunidade da Getúlio Vargas com seus filhos Augusto, Gustavo e Bruno. Com a ajuda deles ela inicia a construção de sua casa própria.

Quem Mora Lá”, dir.Conrado Ferrato, César Vieira e Rafael Crespo, Brasil, 2018, Doc, 61 min.
O filme conta a história de uma família moradora da comunidade do Pocotó, nos fundos do bairro de Boa Viagem de Recife. Enquanto a comunidade é ameaçada de despejo pela prefeitura, eles se organizam com a ajuda do MTST para ocupar um prédio no centro da cidade.

Debate ao vivo: Arte urbana e identidade, 19h
Convidados
Paulo Castiglioni e Bnegão
Transmissão canal ARCHcine no YouTube

 

 


9/12, Quarta-feira, 12h
(Disponível até 10/12, quinta-feira, 12h)

 

TERRITÓRIOS SENSÍVEIS 03

Mamapara”, dir. Alberto Flores Vilca, Peru/Argentina/Bolívia, 2020, Doc, 60 min.
No altiplano peruano, Honorata Vilca, uma senhora analfabeta de ascendência quíchua, mora com seu cão e se dedica à venda de doces. Quando começa a estação das chuvas, ela relata passagens de sua vida, até que, em uma tarde, algo fatal acontece que parece fazer o próprio céu chorar.

Nova Iorque, Mais Uma Cidade”, dir. André Lopes e Joana Brandão, Brasil, 2019, Doc, 60 min.
Jovem liderança e realizadora audiovisual, Patrícia Ferreira vem sendo reconhecida pelos documentários que realiza com o seu povo, os Guarani Mbya. Ao ser chamada para debater seus  trabalhos em um dos maiores festivais de cinema etnográficos do mundo, o Margaret Mead Film  Festival, realizado no Museu Americano de História Natural, em Nova Iorque, Patrícia se depara  com uma série de exposições, debates e atitudes que a fazem refletir sobre o mundo dos “juruá”,  contrastando-o com os modos de existência guarani.

Cidade São Mateus”, dir. Gabriel César, Brasil, 2019, Doc, 60 min.
O bairro de São Mateus já nos brindou com muitos talentos. Aqui apresentamos alguns deles.

Como se fossem máquinas”, dir. João de Mari, Brasil, 2018, Doc , 28 min.
Documentário que discute a escravidão contemporânea na construção civil – “Sabe-se que hoje não se encontra mais a figura do antigo escravo negro, acorrentado a uma bola de ferro. Porém, esse é o estereótipo que aparece no imaginário das pessoas” – e seu terrível impacto na vida dos trabalhadores.

 

NOVAS ESPACIALIDADES – COMPETITIVA

Meu Corpo Entregue a Vocês”, dir. Anna-Claria Ostasenko Bogdanoff, França, 2019, Exp, 60 min.
Um entregador trabalha sobre um patinete elétrico. Atravessa uma cidade, vê escombros, lixo e plantas doentes. Equilibrista na corda bamba, ele busca seu caminho por uma paisagem do fim do mundo.

O Portão de Ceuta” dir. Randa Maroufi, França, 2019, Fic, 60 min.
Bab Sebta é uma série de reconstruções de situações observadas em Ceuta. Enclave espanhol em solo marroquino. Este local é palco de tráfico de produtos manufaturados e vendidos com desconto. Milhares de pessoas trabalham lá todos os dias.

Embaixadas Silenciosas”, dir. Daniel Höpfner, Alemanha, 2020, Exp, 60 min.
Um mergulho singelo na evolução traz um motivo à vida. A luz inquieta penetra através de janelas crescidas e vagueia sobre as superfícies. Uma criatura parecida com um pássaro explora as embaixadas abandonadas. A agitação resultante parece trazer espaços e coisas para fora de seus abandonos. Por meio dessa ressurreição da luz, se levantam contra sua transitoriedade, seu esquecimento, declarando-se como podem antes que suas energias se desvaneçam novamente e tudo volte a um sono duradouro.

Divino Caminho”, dir. Ilaria Di Carlo, Alemanha, 2018, Exp, 60 min.
Vagamente baseado na Divina Comédia de Dante, o curta nos leva na descida épica por um labirinto infinito de escadas. Conforme a mulher viaja mais fundo, as escadas sofrem mutação e ela é presa, puxada para sua paisagem perigosa, nos conduzindo por mais de cinquenta locais magníficos.

 

 


10/12, Quinta-feira, 12h
(Disponível até 11/12, sexta-feira, 12h)

 

LIMITES DO DESENHO 03

Formas Concretas de Resistência”, dir. Nick Jordan, UK, 2019, Doc, 60 min.
Filmado em Beirute e Trípoli, no Líbano, o documentário é centrado na ‘Feira Internacional Permanente’ abandonada de Trípoli, projetada pelo arquiteto brasileiro Oscar Niemeyer em meados da década de 1960. O filme apresenta temas de progresso e crise, trabalho e capital, material e memória, contrastando a visão utópica dos planos originais com a dura realidade das divisões sectárias, conflitos regionais e crescentes desigualdades econômicas.

Vida em Miniatura”, dir. Ellen Evans, UK, 2018, Doc, 60 min
Kath Holden é uma artista do cotidiano. Inspirada pelo mundo ao seu redor, as criações de Kath são extravagantes, mas observadas com atenção, e muito distantes das peças de museu, elegantes, que seus contemporâneos estão produzindo. Uma mulher orgulhosa de Yorkshire, Kath reflete sobre sua vida e arte enquanto constrói um lugar para si no precioso mundo das miniaturas.

Arquitetos da Revolução”, dir. Yanko Del Pino, Brasil, 2019, Doc, 60 min.
Arquitetos relatam os acontecimentos que desembocaram numa das mais bem sucedidas experiências de planejamento urbano no Brasil.

 

 


11/12, Sexta-feira, 12h
(Disponível até 12/12, sábado, 12h)

 

SESSÃO ENCERRAMENTO

Conte isso àqueles que dizem que fomos derrotados”, dir. Aiano Bemfica, Camila Bastos, Cristiano Araújo e Pedro Maia de Brito, Brasil, 2018, Doc, 23 min.
Na madrugada luzes apontam um caminho.

Favela é Moda”, dir. Emilio Domingos, Brasil, 2020, Doc, 72 min.
O cotidiano e o desenvolvimento de jovens modelos de uma agência localizada na favela do Jacarezinho, Zona Norte do Rio de Janeiro. A partir do conceito Moda Resistência, eles questionam o padrão estético no mercado da moda no Brasil.​

Debate ao vivo: A moda de resistência, 19h
Convidados
Emílio Domingos
Transmissão canal ARCHcine no YouTube

 

5º ARCHcine – Festival Internacional de Cinema de Arquitetura
Período até 11 de dezembro
Exibição on-line e gratuita a todo o Brasil
Inscrição através da plataforma Looke