Zaha Hadid © Via Wikimedia

15 arquitetos e designers mais pesquisados ​​no Google

A lista revela contrastes e variedades, incluindo profissionais ainda em atividade e aqueles que já partiram, origens geográficas, ou ainda a infeliz realidade discrepante entre gêneros

O ranking dos 15 arquitetos e designers mais pesquisados ​​no Google nos últimos três meses foi elaborado pela revista Domus, confirmando alguns pressupostos de “popularidade” no setor, mas também com a aparição de nomes menos esperados.

É possível fazer considerações de diferentes naturezas, como o equilíbrio entre profissionais em atividade (oito) e aqueles que partiram (sete), a discrepante porcentagem entre gêneros – ao todo, são 13 homens e apenas duas mulheres -, ou ainda a variedade de origens geográficas, apontada pelos 10 países: em ordem de apresentação Reino Unido, Estados Unidos, França, Brasil, Itália, Espanha, Finlândia, Japão, Dinamarca e México.

Um exercício mais ousado, porém, seria tentar reorganizar esse ranking tomando de empréstimo uma ferramenta interpretativa da história da arquitetura, que é a subdivisão em correntes, movimentos, tendências”, pontua a matéria oficial da revista.

 

Zaha Hadid assume a liderança do grupo, seguida por Frank Lloyd Wright, vice-campeão e mestre modernista mais pesquisado, ao qual sucede Le Corbusier. Já Frank Gehry ocupa o quarto lugar geral, mas como o líder de pesquisa dentre os arquitetos vivos. O brasileiro Oscar Niemeyer está em quinta posição e, juntamente no setor dos modernistas Alvar Alto, em décima colocação.

Três arquitetos que se relacionam com o movimento de alta tecnologia marcam presença: Norman Foster na sexta posição, Renzo Piano em oitavo, e Santiago Calatrava na 12ª posição. À equipe soma-se os designers Philippe Starck, sétimo, e Neri Oxman, na décima terceira colocação.

Antoni Gaudí em nono lugar coloca a poética pós-moderna de Tadao Ando em décimo primeiro, com Bjarke Ingels em décimo quarto. Encerra a lista o arquiteto mexicano Luis Barragán.

 

As razões dessa classificação são múltiplas e complexas, não necessariamente relacionadas com o valor do trabalho dos profissionais, mas talvez a expressividade no mundo”, finaliza a revista.

 

  1. Zaha Hadid (1950 – 2016)

    © Via Wikimedia

     

  2. Frank Lloyd Wright (1867 – 1959)

    © Via Wikimedia / Al Ravenna em domínio público

     

  3. Le Corbusier (1887 – 1965)

    © Via Greelane

     

  4. Frank Gehry (1929)

    © Reprodução Uol

     

  5. Oscar Niemeyer (1907-2012)

    © Via Wikimedia

     

  6. Norman Foster (1935)

    © Reprodução Laart

     

  7. Philippe Starck (1949)

    © Via Wikimedia

     

  8. Renzo Piano (1937)

    © Reprodução Line Arquitetura

     

  9. Antoni Gaudí (1852 – 1926)

    © Via Wikimedia

     

  10. Alvar Aalto (1898 – 1976)

    © Eva and Pertti Ingervo / Alvar Aalto Museum

     

  11. Tadao Ando (1941)

    © Via Art Collegess

     

  12. Santiago Calatrava (1951)

    © Via Greelane

     

  13. Neri Oxman (1976)

    © Via Wikimedia

     

  14. Bjarke Ingels (1974)

    © Via Wikimedia

     

  15. Luis Barragán (1902 – 1988)

    © Via Echauri Morales