Siegfried Bertholdo Costa, um precursor do modernismo | Por Günter Weimer

No início deste século, o Rio Grande do Sul experimentou uma profunda mudança em sua estrutura sociocultural. A oligarquia dos pecuaristas da fronteira, que dominava a política provincial durante o Império, entrara em decadência. O charque – alimento básico da escravaria – perdeu seu mercado com a abolição. Visceralmente ligada à produção primária, a oligarquia não ousou se aventurar na modernização da produção e as grandes companhias frigoríficas de Chicago não tiveram dificuldades em se assenhorear do mercado da carne.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante