Pilar escultórico sobre o qual se apóiam os dois últimos pavimentos da construção

Ruy Ohtake: Torre Pedroso de Moraes (Ohtake Cultural), São Paulo

Com térreo e seis pavimentos operacionais, a torre Pedroso de Moraes é a primeira obra concluída no complexo Ohtake Cultural, projeto de autoria do arquiteto Ruy Ohtake, em construção em São Paulo. O desenho inusitado - um trapézio invertido, apoiado nas laterais por pilares escultóricos - assinala com impacto a presença da edificação em região onde a paisagem urbana passa por acelerada mudança.

No Ohtake Cultural, complexo que reúne escritórios e espaços de lazer e cultura, em construção na região da avenida Faria Lima, zona oeste de São Paulo, Ruy Ohtake reafirma sua trajetória recente, na qual tem procurado explorar formas não convencionais e desenhos originais – com todos os riscos que essa opção origina. Com admiradores confessos e críticas ainda não públicas, o anonimato é, certamente, algo que esse projeto não terá. Prova disso é que, a exemplo do que ocorreu com o edifício Plaza Centenário (veja o projeto de Carlos Bratke em PROJETO DESIGN 193, janeiro/fevereiro de 1996), chamado de Robocop numa alusão ao filme com esse título, a torre Pedroso de Moraes já ganhou apelido: Palácio da Carambola – referência à forma escultórica dos pilares nas laterais do edifício.  

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 8.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Assine por R$ 2,99 mensaisJá sou assinante