Batizados de redondinhos, os edifícios do condomínio não têm apartamentos de frente e de fundo

Ruy Ohtake: Centro educativo-cultural e condomínio residencial, São Paulo

Em Heliópolis, caminho leva aos redondinhos

Um polo constituído por prédios didáticos e centro cultural e um condomínio de edifícios cilíndricos (conhecidos como redondinhos) para população de baixa renda são as mais recentes intervenções de Ruy Ohtake em Heliópolis, comunidade carente na zona sudeste da capital paulista. Soma de proposta urbanístico‑arquitetônica com a estética peculiar do autor, os trabalhos empurram a comunidade na direção de torná‑la, de fato, um bairro integrado à cidade.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 8.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Assine por R$ 2,99 mensaisJá sou assinante