(Foto: Ricardo L. Castro)

Rogelio Salmona: Museu Quimbaya, Armênia, Colômbia

Os espaços abertos como elementos de composição arquitetônica me interessam há muitos anos, desde meus passeios ‘‘pelos atalhos”, como escrevi certa vez, das arquiteturas ocidentais e islâmicas, em particular da Andaluzia e do Magreb. Encontrava nelas a verdadeira razão da arquitetura: o gozo do espaço. Mas foi o encontro com as arquiteturas pré-hispânicas e logo com as arquiteturas da mestiçagem americana que me firmou com afinco a ideia de sua incorporação compositiva, para criar um atributo mais à arquitetura e uma espacialidade enriquecedora para os sentidos. O espaço aberto, tão tipicamente americano, tanto o monumental como o doméstico, foi se convertendo em um elemento principal da organização de meus trabalhos.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante