(Foto: Cristiano Mascaro)

… Porque as catedrais não eram brancas

“Nossas catedrais ainda não foram construídas. As catedrais são as dos outros – dos mortos -, elas são negras de fuligem e carcomidas pelos séculos…”, escrevia Le Corbusier em 1937, na primeira parte do livro Quando as Catedrais Eram Brancas.

Ao exaltar o espírito de renovação e ousadia do seu tempo, comparando-o ao dos séculos XII e XIII, esse grande ensaísta que foi Corbu recorre à bela visão da brancura de uma catedral “nova”, acabada de construir, para anunciar o início de um novo tempo que seguiria o modelo daquele pretérito passado, onde “as catedrais eram brancas, o pensamento claro, o espírito vivo, o espetáculo limpo”.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante