studio mk27

O sarcasmo com que Marcio Kogan defendia suas teses na época de FAU/ Mackenzie talvez fosse uma forma de se defender da timidez que ainda transparecia, anos depois de formado. Quando, após sua derradeira aventura/comédia como cineasta (e de esta ter lhe deixado o escritório praticamente quebrado), ele se cercou de uma turma de arquitetos mais jovens e igualmente talentosos, a carreira decolou, junto ao número de projetos realizados. O nome anterior também foi deixado de lado e surgiu o studio mk27 (seu número de sorte, embora ele, enigmático, não explique a razão), cuja produção vem alcançando repercussão internacional. Ainda assim, não possuía controles que permitissem saber se, por exemplo, um projeto havia sido pago ou não. Esse tempo ficou pra trás, assegura a equipe.

 

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante