RAF Arquitetura

Segunda-feira é dia de conversa no RAF Arquitetura. A manhã começa com a apresentação aos sócios dos estudos de viabilidade que estão em andamento no escritório, seguida pela análise da situação financeira dos projetos. À tarde, eles voltam a se reunir para compartilhar os entraves dos trabalhos sob cada liderança, procedimento que serve tanto para ter ciência conjunta da sua existência, quanto para buscar soluções. Periodicamente, neste mesmo dia ou em outro em que estejam ao menos dois sócios na sede de Botafogo, no Rio de Janeiro, os coordenadores apresentam os projetos mais adiantados em desenvolvimento. “Serve para avaliarmos se o design manteve a concepção que definimos juntos na criação”, explica Aníbal Sabrosa, um dos fundadores do RAF Arquitetura. Essa foi a dinâmica que Sabrosa, Flávio Kelner e Rodrigo Sambaquy, o trio fundador do escritório, encontrou, ao lado dos arquitetos associados Henri Medalla (ingresso no RAF em 1994) e Cynthia Kalichztein (fundadora da filial paulistana, em 2008), para manter a sinergia da equipe quando o escritório cresceu e atingiu, em 2013, a marca de 130 funcionários, quando estavam em desenvolvimento dois projetos de parcerias internacionais da empresa – o Aqwa Corporate, com Foster + Partners, e o Centro de Pesquisa & Inovação da L’Oréal, com Perkins + Will -, que apresentamos adiante nesta matéria. Hoje o número é menor; atuam cerca de 60 pessoas no Rio de Janeiro e 25 na unidade de São Paulo, mas nem por isso o cotidiano do trabalho é mais tranquilo.

 

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante