(Foto: Elephant Studio)


PAX: Sede da AMATA, São Paulo (SP)

Da expertise do estúdio paulistano – conjugar criatividade projetual e execução rigorosa – surgiram os interiores em que a protagonista é a madeira. Em analogia a um tronco de árvore, os fluxos no novo escritório foram estabelecidos em torno de um cerne, envelopado com chapas de compensado de paricá.

Para ser escolhido entre os concorrentes no processo de seleção proposto pela AMATA, empresa voltada ao aproveitamento consciente de recursos florestais, pesou o conceito inicial apresentado pelo PAX – em que customização e industrialização estavam perfeitamente balanceados. “Claro que, para um cliente que promove o manejo florestal na Amazônia, um ponto de partida era pensar em uma solução com uso abundante de madeira”, diz Paula Sertório, uma das sócias do coletivo multidisciplinar. “Acho que nossa proposta sobressaiu não só por isso, mas porque pensamos em um espaço de trabalho organizado a partir de um núcleo central de serviços – e também porque desde o começo descrevemos como os componentes necessários seriam cortados em uma máquina de CNC, especificando prazo e custo”, continua.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 8.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Assine por R$ 2,99 mensaisJá sou assinante