Paulo Henrique Paranhos: Ginásio Poliesportivo do Colégio Planalt, Brasília (DF)

Situado em esquina de grande movimento, o terreno destinado ao Ginásio Poliesportivo do Colégio Planalto estava submetido às severas restrições do código de edificações do Plano Piloto de Brasília. Entre outras exigências, a lei estipulava um recuo de cinco metros para a construção. Para superar o problema, que reduziria ainda mais a dimensão de um lote já insuficiente para acomodar o extenso programa, o arquiteto propôs a criação de um relevo suave, construído especialmente para acomodar o edifício em dois níveis, com um terceiro intermediário. Assim, o terreno de 2 mil metros quadrados pôde receber 3 200 metros quadrados de área construída.

O arquiteto Paulo Paranhos propôs praças ou pátios pergulados semi-internos, nas duas laterais abertas do ginásio de esportes. Voltados para leste e oeste, os pergulados evitam uma relação direta com as avenidas e amenizam o constante ruído do tráfego. Internamente, os espaços criados são amplos, arejados, com bastante iluminação natural. Além disso, sugerem uma agradável aproximação entre a platéia e os atletas. O programa, a relação de escalas e o posicionamento do conjunto foram enriquecidos com o tratamento dado aos fechamentos, no qual se destacam concreto aparente, venezianas, grandes painéis de vidro e, ainda, revestimento granulado com frisos de alumínio nas empenas cegas.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 8.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Assine por R$ 2,99 mensaisJá sou assinante