(Foto: Luiz Carlos Felizardo)

Papel da fotografia: A inevitável atração entre fotografia e arquitetura | Por Luiz Carlos Felizardo

A fotografia é o meio especialmente adequado para a leitura da cidade, esse conjunto de arquiteturas que representam a mais sólida e profunda expressão da criação humana, a obra de arte capaz de conter todas as outras, que revela em si o conceito de civilização daqueles que a traçaram.

Ainda que a presença da arquitetura e da cidade nas imagens geradas pela fotografia, desde sua descoberta, seja intensa e constante, há poucas publicações a respeito: não conheço nenhuma investigação, boa ou má, sobre a intimidade das relações entre fotografia e arquitetura. Não é que não se fale sobre isso; o problema é que não se pensa. Encontram-se referências a autores que se dedicaram à arquitetura como tema, mas os comentários não passam de “usava tal ou qual tipo de equipamento”, “revelou a compreensão da forma arquitetônica” ou “demonstrou amor pela cidade”. Historiadores e críticos, com exceções que, honestamente, desconheço, mantêm-se a prudente distância das razões que levaram – e continuam levando – tantos fotógrafos a exercitar a transformação do espaço construído em imagem bidimensional.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 8.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Assine por R$ 2,99 mensaisJá sou assinante