Marcello FragelIi: por uma arquitetura antiformalista | Por Mauro Neves Nogueira

Lendo o número 55 da revista Projeto (setembro/ 1983), vi publicado o trabalho de Marcello Fragelli, acompanhado de um texto de Ruth Verde Zein sobre sua obra, a propósito da exposição de sua arquitetura no IAB de São Paulo. Lembrei-me então de que no ano passado houve essa mesma mostra no IAB/RJ, que também foi inaugurada com uma palestra sua sobre arquitetura. Recordo-me que, terminado o evento, Fragelli mostrou-se um arquiteto de notável senso ético da profissão, um realizador de obras que sempre procuram ser arquitetura como espaço, função e construção destinada ao “homem comum”. Acima de tudo, mostrou-se um fervoroso adversário da arquitetura que contraria qualquer lógica, seja ela construtiva, funcional, espacial etc. Um cético em relação àquela arquitetura que tem dominado “oficialmente”, por muito tempo, a cena da arquitetura brasileira: a assim denominada arquitetura formalista. Fragelli, aliás, iniciou-se na profissão trabalhando durante um ano numa das “escolas” mais racionalistas e mais importantes da arquitetura moderna brasileira: o Escritório MMM Roberto.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante