Jaime Lerner Arquitetos Associados: Centro científico-educacional, Frutal, MG

Como parte da Cidade das Águas, complexo científico e educacional em implantação em Frutal, MG, o Espaço Jacques Cousteau foi projetado pelo escritório Jaime Lerner Arquitetos Associados. Auditório, áreas para exposições e salas de aulas são alguns dos ambientes reunidos no edifício, que tem a água como protagonista e presta homenagem ao oceanógrafo francês, referência mundial em pesquisa do meio ambiente.

Com o foco em pesquisa, educação e capacitação, foi criada no município de Frutal, no oeste de Minas Gerais, a Cidade das Águas, complexo tecnológico e de estudos que tem por objetivo agrupar instituições voltadas à produção e difusão de conhecimento sobre recursos hídricos, em seus múltiplos desdobramentos. Nesse conjunto, tem destaque o Espaço Jacques Cousteau, desenvolvido pelo escritório Jaime Lerner Arquitetos Associados, em fase de anteprojeto. Idealizado como homenagem ao oceanógrafo, explorador e documentarista francês, referência em pesquisa ambiental, o empreendimento será construído em frente das instalações da HidroEx, um organismo internacional que conta com a participação dos governos estadual e federal, sob a chancela da Unesco, organização das Nações Unidas para a educação e a cultura.

“Poucos elementos estão tão conectados à vida quanto a água, por isso ela é o princípio básico do projeto. Entendê-la e valorizá-la faz parte de qualquer iniciativa que pense em sustentabilidade”, argumenta Jaime Lerner, arquiteto responsável pela proposta. Ele explica que a edificação, emergindo de espelhos d’água que a circundam, contará com grandes espaços vazios que pretendem incentivar atividades expositivas e de convívio nas áreas cobertas, integrando o edifício à Cidade das Águas.

Três paredes arredondadas darão sustentação à cobertura, acompanhando, simbolicamente, o caminho dos rios São Francisco, Tocantins e Grande (que banha a cidade), importantes bacias hidrográficas brasileiras às quais o projeto de Lerner remete, tornando Frutal, simbolicamente, o epicentro desse encontro. A estrutura principal da edificação deve ser executada com uma grande laje de concreto, que mede 50 x 50 metros e é suportada por pilares de oito metros de altura, igualmente de concreto, com modulação de 10 x 10 metros; os balanços nas extremidades serão de cinco metros.
Todo o prédio, inclusive a fundação, é muito simples, avalia Lerner. “O objetivo foi realmente traduzir o encontro das águas”, pontua.

Com cerca de 3 mil metros quadrados, o espaço contará com área para exposições – que incluirá uma mostra com as atividades desenvolvidas por Cousteau -, projeções, bibliotecas, salas de aulas, administração e apoio. Além disso, no centro da construção, vãos maiores entre as colunas darão lugar a um auditório com 450 lugares. Vigas auxiliares e paredes de vedação foram desenhadas para garantir a estabilidade do conjunto, mas o destaque ficará por conta da cortina d’água em frente do palco, que substituirá uma cortina convencional. “Ela será formada pela água que fica no reservatório, localizado na cobertura. Para interrompê-la, basta desligar o fluxo da água”, relata o arquiteto.

A vedação e o fechamento da biblioteca, das salas de aulas e da administração se darão por superfícies inteiras em blocos de vidro incolor, que vão filtrar a radiação e a entrada direta da luz solar e, junto a uma parede dupla e colchão interno de ar, garantir o conforto térmico. Na cobertura, uma laje-jardim e mais um espelho d’água auxiliarão na impermeabilização da superfície e minimizarão os efeitos da radiação solar. Além disso, o ar frio produzido pelos espelhos d’água vão diminuir a necessidade de uso de ar-condicionado. Outra possibilidade para a redução de gastos com energia é o emprego de painéis solares sobre a laje.

“O grande mas prazeroso desafio desse projeto foi trabalhar em uma obra que homenageia uma pessoa tão importante, que foi a fundo com as expedições para o conhecimento hidrográfico, que eu admiro”, conta Lerner, revelando ter conhecido Cousteau quando o convidou para a cerimônia de inauguração da Universidade Livre do Meio Ambiente (Unilivre), em Curitiba, em 1992.

 


Jaime Lerner Arquitetos Associados

 

Publicada originalmente em Projeto Design na Edição 429

Ficha Técnica

Espaço Jacques Cousteau
Local Frutal, MG
Data do início do projeto 2013
Área construída 3.000 m²
Arquitetura Jaime Lerner Arquitetos Associados - Jaime Lerner (autor); Felipe Guerra e Gianna Rossi (coordenação); Ariadne Daher, Fernando Canalli, Fernando Popp, Paulo Kawahara, Valéria Bechara, Augusto Rodrigues, Bárbara Schlosser, Catherine Narezi, Débora Ciociola, Érika Poleto, Fabiana Moro Martins, Isabel Sanchez, Lucas Roni de Lacerda, Luiz Gustavo Singeski, Milton Naigeboren e Pedro Sunye (equipe)
Desenvolvimento In Cubus

*O conteúdo do Acervo PROJETO está em constante atualização. Algumas matérias publicadas podem apresentar textos em desacordo com as regras ortográficas atuais, bem como imagens em menor resolução que o ideal, ou mesmo a falta delas. Ajude-nos a atualizar o site enviando mensagens aqui.