Já Não Era Sem Tempo: Antigo armazém de café será transformado em espaço cultural

“Unicamp busca parceiros para recuperar estação.” O título da reportagem, publicada na edição de 20 de março último do jornal campineiro Correio Popular, anunciava a intenção da tradicional instituição de dar início ao processo de requalificação daquela que foi, um dia, a próspera estação Guanabara. O antigo complexo ferroviário está situado próximo ao centro de Campinas e pertenceu originalmente à Companhia Mogiana de Estrada de Ferro.

Atrasado, centro cultural vai ocupar edifícios de velha estação
“Unicamp busca parceiros para recuperar estação.” O título da reportagem, publicada na edição de 20 de março último do jornal campineiro Correio Popular, anunciava a intenção da tradicional instituição de dar início ao processo de requalificação daquela que foi, um dia, a próspera estação Guanabara. O antigo complexo ferroviário está situado próximo ao centro de Campinas e pertenceu originalmente à Companhia Mogiana de Estrada de Ferro.

Já não era sem tempo, poderia ter acrescentado o redator. A obra, planeja a equipe da universidade, terá início com a recuperação do antigo armazém de café, que será transformado em espaço para atividades relacionadas à música e ao teatro, além de abrigar oficinas para formar profissionais nas áreas artística e cultural. O projeto de restauro foi desenvolvido pela Companhia Paulista de Obras e Serviços e é assinado pelo arquiteto Demétrio Araújo, funcionário da CPOS.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 8.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Assine por R$ 2,99 mensaisJá sou assinante