(Foto: Fran Parente)

FGMF: Edifício residencial, São Paulo

Localizado em uma esquina movimentada de bairro densamente urbanizado, em São Paulo, o Siga Moema é exemplar da virtude do convívio de usos distintos em uma mesma edificação, motivado pela nova legislação urbanística paulistana. Sua fachada ativa é composta por caixas de concreto que delimitam lojas em dois pavimentos do embasamento, além de nove estúdios de 30 metros quadrados no segundo andar. Sóbria, a torre de 16 pavimentos desponta no núcleo da implantação, abrigando três unidades com três suítes em cada um deles.

Com a finalidade de otimizar o uso de serviços urbanos, em especial nas áreas bem servidas pelo transporte público coletivo, o Plano Diretor em vigor na capital paulista fomenta o convívio do uso residencial e do não residencial em uma edificação. Ele também contempla outros parâmetros urbanísticos, como a fachada ativa e a fruição pública que, embora não sejam novos, são artifícios que recentemente têm frutificado nos prédios residenciais da cidade.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante