Entrevista: Rodrigo e Ruy Ohtake

Na entrevista a seguir, pai e filho, arquitetos, falam sobre o trabalho em conjunto no escritório de Ruy e sobre as coincidências e discordâncias que marcam as suas visões particulares sobre a arquitetura.

Publicamos nesta edição da revista PROJETO dois projetos da família Ohtake: o Centro Cultural de Jacareí, de Ruy Ohtake, e o centro comunitário/sede do Instituto Alana, de Rodrigo Ohtake. Ambos localizados em São Paulo – no Vale do Paraíba e na zona leste da capital, respectivamente. Rodrigo é filho de Ruy, neto, portanto, de Tomie Ohtake (1913-2015) e sobrinho do também arquiteto Ricardo Ohtake, o que o coloca no olho do furação de uma família de artistas e arquitetos, na qual a questão da herança profissional pode ser uma dádiva ou um fardo. Ou, deixando de lado os extremos, algo no meio desse caminho excepcional. Na entrevista a seguir, pai e filho falam sobre a atuação em conjunto no escritório de Ruy, onde Rodrigo foi trabalhar recém-formado, em 2008, pela FAU/USP. Como os demais funcionários, registra Ruy, o filho ingressou como estagiário e, aos poucos, está construindo carreira no cotidiano corporativo, paralelamente aos projetos que desenvolve independentemente, como o Alana, fora do horário comercial. Por seu lado, Rodrigo é explícito em declarar a admiração que sente pelo trabalho do pai e pelo didatismo de Ruy em incentivar a criatividade dos jovens – forçados a se expressarem com esboços manuais no escritório – e a sua familiarização tanto com o canteiro quanto com o pós-obra.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante