Elizabeth de Portzamparc: Musée de la Romanité, Nîmes, França

Nimes, ao sul da França, concorre ao título de Patrimônio Mundial da Unesco e o tema da sua candidatura é A Antiguidade no Presente. A cidade valoriza tanto a densidade e a vivacidade com que as construções romanas perduraram no espaço urbano, quanto o seu convívio com a arquitetura do presente. Assim, a recente inauguração do Musée de la Romanité, projetado por Elizabeth de Portzamparc, coroa um processo político de promoção da arquitetura contemporânea em Nimes, comandado pelo ex-prefeito Jean Bousquet e pelo atual prefeito, Jean-Paul Fournier (há três mandatos no poder), tendo o primeiro promovido o concurso para a criação do centro cultural Carré D’Art (Norman Foster, 1993) e o segundo, ex‑secretário de urbanismo de Bousquet, o concurso vencido por Elizabeth em 2012

Parte de um circuito de cidades do sul da França que possuem remanescentes de construções romanas, Nimes tem a particularidade da pequena escala. É caminhável o percurso que cruza o centro antigo da cidade, chegando na Port d’Auguste, na Tour Magne, na Maison Carrée e nas Arènes de Nîmes. Mais do que isso, o visitante percebe a relação espacial entre elas porque são todos monumentos abrangidos na vista do horizonte que se tem a partir da torre pré-romana do cume da colina (o Mont Cavalier), ao fundo de Nimes.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante