Dutilleul, Tricaud e Pradillon; Grumbach e Schall: Estação do metrô de Paris, França

Quase um século depois da construção de suas primeiras linhas de metrô, Paris inaugurou, em outubro, uma nova malha da rede mais densa do mundo. Trata-se da 14ª linha, batizada Meteor (Metrô Rápido Este/Oeste), sem motorista a bordo e dirigida por computador. Embora empregada pela primeira vez em Paris, essa tecnologia não é novidade na França. Metrôs automáticos já circulam em Lyon, Lille, Orly e Toulouse. Mas a Meteor será a primeira linha teleguiada inteiramente subterrânea e com grande capacidade: em sua fase final, com 20 quilômetros de extensão e 20 estações, transportará 80 mil passageiros por hora.

A primeira fase da Meteor, já inaugurada, é composta de sete estações dispostas ao longo de oito quilômetros, unindo o sudeste de Paris (Biblioteca François Mitterrand) ao centro da cidade (Madeleine). Nessas estações, os espaços constituem volumes amplos, sem corredores nem ângulos mortos, permitindo uma apreensão da complexidade subterrânea na sua totalidade, materializada por uma estrutura de arcos metálicos e vidro curvo.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 8.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Assine por R$ 2,99 mensaisJá sou assinante