Dominique Perrault: Velódromo e conjunto aquático, Berlim, Alemanha

Berlim é o maior canteiro de obras da Europa. A partir da reunificação da Alemanha em 1990 e da decisão, no ano seguinte, de mudar para lá a capital do país, a cidade vive um processo vigoroso de reconstrução e reurbanização, implantando notáveis marcos arquitetônicos na paisagem local. Um deles, sem dúvida, é o complexo esportivo projetado pelo arquiteto francês Dominique Perrault. Vencedora de um concurso internacional realizado em 1992, a proposta de Perrault inscreve um círculo e um retângulo em meio a um jardim de 100 mil metros quadrados, deixando visíveis apenas os telhados planos, flutuando entre cerca de 450 macieiras.

O projeto de Dominique Perrault está implantado a quatro quilômetros do centro da cidade (Alexanderplatz). A região – marcada pela expansão industrial do final do século 19 e pelas construções residenciais da Alemanha Oriental no pós-guerra – é muito bem servida pela rede pública de transportes, porém feia e desolada. Para valorizar a paisagem, Perrault enterrou o velódromo e o conjunto aquático. Ambos correspondem à altura de um prédio de três andares, mas estão fincados abaixo do solo. Apenas as coberturas metálicas planas são visíveis no terreno arborizado de 100 mil metros quadrados que fica entre dois e cinco metros acima do nível das ruas adjacentes.

Conteúdo exclusivo para assinantes

Por apenas R$ 2,99 mensais, você tem acesso ao conteúdo completo do acervo da revista PROJETO, com mais de 7.000 obras, projetos, entrevistas e artigos

Clique e assineJá sou assinante