A loja da Dengo recebeu a madeira engenheirada Urbem, da Amata (Foto: Pedro Kok)

Conteúdo Urbem / Amata:
Madeira construindo o futuro

Eficiência, segurança, rapidez na instalação, obras limpas e sustentabilidade. Essas são algumas das vantagens da madeira engenheirada, tecnologia escolhida pela Amata como seu próximo negócio. O sistema inovador marca presença em diferentes projetos, como na nova loja de chocolates Dengo.

Patrocinado

Conectada com as mais inovadoras tendências do mercado, a Amata traz para o setor da construção civil a madeira engenheirada, sendo pioneira no país na produção em larga escala da tecnologia. A marca Urbem chega ao mercado impulsionada pela convicção de usar a força da floresta para construir, hoje, as cidades do futuro. Um propósito alicerçado em um material robusto, versátil, inovador e sustentável. As vantagens, que começam no canteiro de obras, permanecem mesmo após a conclusão do projeto. A madeira engenheirada é fabricada a partir de matéria-prima renovável e de baixo impacto ambiental, proveniente de florestas certificadas e manejadas com rígido controle de qualidade. Além de renovável, a madeira é hoje o único material de construção que absorve CO2 ao invés de emiti-lo na atmosfera, por meio de um processo conhecido como “sequestro de carbono”.

 

Na loja da Dengo, a Amata trabalha em parceria com a KLH (Foto: Pedro Kok)

 

A solução será fabricada no Brasil em uma indústria de alta tecnologia que a Amata Urbem está implantando no Paraná, próximo ao seu maciço florestal de pínus. Com início das operações previsto para o segundo semestre de 2022, terá capacidade de produzir, em média, 60 mil m³/ano – equivalente a 300 mil m²/ ano em obras construídas. Porém, não é necessário aguardar para especificar a madeira engenheirada. Nos projetos especiais, como a loja da Dengo, a empresa trabalha em parceria com a KLH, indústria austríaca precursora da solução no mundo. Após a extração da madeira pínus, a matéria-prima passa por tratamentos e processos que agregam qualidade e homogeneidade aos produtos. Entre eles, está o CLT (Cross Laminated Timber, sigla em inglês para Madeira Lamelada Colada Cruzada), que resulta em painéis estruturais com espessura e composição que variam de acordo com os requisitos do projeto. Usados como diferentes elementos construtivos (paredes, lajes e coberturas), já chegam ao canteiro com cortes, furos, marcações e rebaixos – todos realizados por meio do sistema de CNC (Comando Numérico Computadorizado).

 

A madeira engenheirada colabora com a redução do CO2 na atmosfera (Foto: Divulgação/Amata)

 

O material da Amata Urbem tem ótimo desempenho estrutural (Foto: Divulgação/Amata)

 

Outro produto que será fabricado pela Urbem é o MLC (Madeira Lamelada Colada). Ideal para pilares e vigas – nas mais variadas dimensões e comprimentos -, é capaz de vencer grandes vãos e suportar cargas elevadas, com performance semelhante ao concreto. Versátil, a madeira engenheirada pode atuar em conjunto com outros materiais em sistemas híbridos. Além disso, mitiga os riscos no canteiro com a otimização da equipe na obra, prazos assertivos e redução do desperdício. Em consonância com a tendência global, que ganha cada vez mais importância no cenário nacional, a estratégia de adoção de madeira engenheirada como sistema construtivo ajuda clientes e investidores a entregar um pacote robusto de redução de impactos ambientais, conceito fundamental para as boas práticas ESG.

+ informações acesse o e-book

 

 

www.amatabrasil.com.br