Conteúdo AGC:
Gigante de vidro

Líder mundial na produção de vidros, a multinacional japonesa AGC levou sua expertise à construção do edifício residencial que promete ser o mais alto da América Latina, com 281 metros e 81 andares.

Patrocinado

O panorama de Balneário Camboriú, no litoral de Santa Catarina, vem se alterando à medida que o Yachthouse by Pininfarina sobe. Atualmente, as duas torres do complexo residencial com design italiano, planejado pela construtora de empreendimentos de luxo Pasqualotto & GT já riscam o céu. Para redesenhar o skyline do balneário catarinense, o projeto com inspiração no mundo náutico promete exibir formas sinuosas e cores marcantes nos andares inferiores. E altíssimo, precisou estipular reforços estruturais a fim de evitar a oscilação dos prédios e oferecer segurança e estabilidade, compensando a implantação perto do mar e do Rio Camboriú. É justamente desse ponto, na Marina Tedesco, Barra Sul da cidade, que os moradores terão vista incomparável do oceano, das montanhas e do Parque Unipraias. Outra façanha associada à configuração extremamente vertical vem da pele de vidro. Marcada pela inovação arquitetônica e pelo dinamismo, a fachada pretendia sugerir movimento – na base, se assemelha a uma gigantesca quilha. Já no alto, os 264 apartamentos precisavam de envoltórios transparentes de alto desempenho.

 

 

“Foram especificados os vidros Stopsol Classic Clear, próprios para controle solar. Entre seus atributos, contaram a perfeita uniformidade, reflexão e excepcional resistência a riscos e à poluição”, diz Ana De Lion, gerente de desenvolvimento de mercado responsável pela linha de produtos refletivos da AGC. Definiu-se pela versão insulada a partir das diretrizes da arquitetura e do aporte dos consultores técnicos Vinícius e Crescêncio Petrucci, encarregados de estudos e simulações estruturais dos caixilhos e do vidro. (Também foi digna de nota a atuação da Glassec, processadora, capaz de executar uma obra tão grande e de assegurar o controle do delta E, índice de tolerância da cor do vidro, importante para garantir a fidelidade em termos de estética e coloração). Grandioso, o Yachthouse by Pininfarina, com seus 32 mil metros quadrados de vidro, sobressaiu inclusive nos testes de desempenho do sistema de fachada. Um protótipo passou por simulador de pressão de vento e água, alcançando valores muito superiores aos níveis tradicionalmente registrados no Brasil quanto à eficiência da vedação, resistência e segurança. No procedimento, dois pavimentos similares aos do Yachthouse by Pininfarina foram construídos em laboratório. A excelência prevaleceu também no canteiro de obras, onde a Pasqualotto & GT ergueu uma central de montagem, quase uma fábrica, evitando assim desgastes com transporte, logística e produção externa. Ali, uma linha de produção uniu os painéis de alumínio, vidro e alumínio composto (ACM) cortados e usinados. Ao final, começou a fixação das ancoragens, seguida da colocação da fachada, tarefa com duração prevista de 10 meses – após a qual o empreendimento estará mais perto de ganhar habitantes e vida. Deve estar pronto no final de 2020.

 

 

www.agcbrasil.com